Guia de Auto Ajuda

Tuesday, July 18, 2006

Terapia global da gagueira

Terapia global da gagueira
Phillip J. Roberts

___________________________________________________________________

Prefácio

Você gagueja e deseja ardentemente melhorar sua elocução.
Você tem a sensação de que a gagueira controla sua vida e gostaria de encontrar uma maneira de dominá-la. Talvez já tenha tentado vários métodos, mas nenhum foi realmente eficaz.
Este livro deveria ajudá-lo a melhorar a elocução e provavelmente a eliminar completamente a gagueira de sua vida. Isto levará tempo: meses, talvez mais de um ano. Sem dúvida, você sonhava com um método que o ajudaria a eliminar a gagueira em alguns dias e provavelmente está decepcionado ao ler que isso levará tempo. Você tem que compreender que você gaguejou durante anos. Por esta razão, a gagueira já está bem enraizada e mudar este hábito levará seguramente algum tempo.
A primeira parte deste livro é uma descrição teórica da gagueira. Você terá, também, os conhecimentos de base necessários para controlar a gagueira e melhorar sua elocução. Você verá que a gagueira é um fenômeno complexo que não se limita a sua elocução. A gagueira inclui, também, uma série de comportamentos e estes têm que ser modificados um a um se você quiser eliminá-la.
A segunda parte deste livro é composta de 30 exercícios destinados a melhorar sua elocução. Estes exercícios estão divididos em duas partes. Os da primeira parte visam o processo da fala e, os da segunda, o ajudarão a modificar os diferentes comportamentos associados à gagueira.

Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________

Provavelmente você conseguirá eliminar a gagueira antes de ter feito a totalidade de exercícios. Se isto acontecer, eu o aconselho a terminar todos os exercícios. Conseguir eliminar a gagueira é difícil, e manter uma boa e durável elocução, também não é fácil. Uma recaída é possível e é necessário que você consolide o que conseguir conquistar para evitar uma surpresa desagradável.
Atenção, a gagueira é um fenômeno complexo e não há dois gagos idênticos.
Este livro deveria ajudar a maioria dos gagos, mas eu não posso garantir que será eficaz para todos. Há uma mínima possibilidade que após ter lido este livro e feito todos os exercícios você não perceba nenhuma melhora. Neste caso, não abandone seu combate contra a gagueira. Você pode consultar um ortofonista ou procurar na Internet uma ajuda complementar. Se você quer realmente controlar a gagueira, encontrará uma maneira de atingir este objetivo. Isto pode levar tempo, mas com perseverança, você conseguirá. Querer é poder!

Se seu filho gagueja...

Se seu filho gagueja, eu o aconselho a primeiramente ler a primeira parte (Descrição Teórica da Gagueira). Estas páginas o ajudarão a compreender este fenômeno e darão uma idéia dos sentimentos de um gago. Desta maneira será mais fácil compreendê-lo e ajudá-lo a melhorar sua elocução.
A segunda parte (Terapia destinada a Adultos e Adolescentes) não se destina especificamente a crianças pequenas. Esta parte é a princípio em intenção a adolescentes e adultos. No entanto, seja qual for a idade de seu filho, leia-a porque as informações contidas nestas páginas o ajudarão a adquirir uma melhor compreensão da gagueira.
A terceira parte (Terapia destinada às Crianças) foi escrita especialmente para você. Ela contém informações importantes sobre as crianças e a gagueira. A terceira parte explica também o que você pode fazer para ajudar seu filho à eliminar a gagueira e melhorar sua elocução.
Eu o desejo boa sorte. Se você tiver perguntas ou comentários, não hesite a me
contatar através do sítio http://www.gagueira.ch.

Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________

Primeira Parte
Descrição teórica da gagueira
Terapia global da gagueira

Capítulo 1

O iceberg da gagueira

No dicionário
Segundo o dicionário, gaguejar é pronunciar as palavras com hesitação, sem clareza de sons, e repetindo as sílabas.
A palavra gagueira há muitos sinônimos: gaguez, gaguice, pselismo, tartamudez.
Todos os gagos concordarão que esta definição é muito curta, porque ela descreve somente a parte visível (ou mais precisamente a parte audível) da gagueira.
Para os gagos, a gagueira representa muito mais que uma simples repetição de sílabas. A gagueira é também esta estranha sensação que você tem nas tripas quando sabe que vai gaguejar. Ela é sinônimo de frustração, vergonha, culpa e sentimento de inferioridade. A gagueira conduz a comprar um “sonho” no lugar de um “pão doce”, porque você sente dificuldade em pronunciar a palavra “pão”. Ou ainda, você talvez comprará dois pães, porque você acha que a palavra “dois” dará impulso suficiente para pronunciar a palavra “pães” sem muita dificuldade. Em seguida, você fará de conta que se pergunta porque você não tem fome bastante para comer o segundo.
Por causa da gagueira você encontrará uma série de boas razões para não pedir um aumento de salário, mesmo se na realidade você o merece.

Porque é gago, você hesitará de dirigir a palavra à esta garota que você ama em segredo e terá que estar determinado a deixar o caminho livre para outro. A gagueira também é o emprego exagerado de palavras e expressões inúteis com “ehhhh”, “digamos” etc.
Se você é gago, regularmente se sente irritado com pessoas que dão conselhos estúpidos do tipo “acalme-se!”, “respire!” “fale calmamente!”.

O iceberg da gagueira

A gagueira é como um iceberg: há uma parte visível e outra invisível. A parte visível representa somente 10% da massa total do iceberg. Os 90% restantes estão imersos e segundo os navegadores é a parte mais perigosa.
Os problemas de elocução do gago representam a parte visível do fenômeno.
A parte escondida compreende:

1- A contração dos músculos do mecanismo Valsalva

Isto será descrito em detalhes no próximo capítulo.

2- Uma respiração irregular

Os gagos têm freqüentemente uma respiração irregular e dificuldades a sincronizar a
respiração e a fala. Às vezes, eles tentam falar quando têm muito pouco ar nos
pulmões. Alguns gagos tentam até falar no momento em que inspiram.

3- Emoções negativas, vergonha, culpa, sentimento de culpa e de
inferioridade, embaraço, falta de confiança

Os gagos têm freqüentemente vergonha da incapacidade de falar normalmente e se
sentem diminuídos por causa da dificuldade de comunicação (com os outros). Eles
se sentem culpados por não realizarem coisas das quais seriam capazes se não fossem gagos. E se sentem embaraçados por causa da gagueira e pela impaciência daqueles com quem falam.

4- Receio de situações constrangedoras como a utilização do telefone, fazer
o pedido em um restaurante, pedir uma informação a alguém na rua etc...

A gagueira é mais ou menos intensa dependendo da situação. As situações propícias para este fenômeno variam segundo os indivíduos, mas a gagueira é geralmente muito mais intensa quando o gago se dirige a alguém que encarne a seus olhos a autoridade: um policial, os pais, um professor ou um superior hierárquico.
Geralmente os gagos não encontram dificuldades quando falam a sós, ou quando falam com um animal, enquanto não há um ser humano que possa ouvi-los. Eles gaguejam menos quando falam com seus cônjuges provavelmente porque esta pessoa é percebida como uma parte deles mesmos.

5- Utilização exagerada de palavras tapa-buracos

Quando um gago sente que vai tropeçar numa palavra, utiliza palavras inúteis como “não é”, “ehh...”, “enfim...”. Todo mundo utiliza estas palavras, mas esta tendência é ainda mais forte nos gagos. Muitas vezes, têm a impressão de que estas palavras inúteis lhes darão um impulso, permitindo ultrapassar o obstáculo.

6- Substituição de palavras

Quando um gago sente que vai bloquear em uma palavra, ele utiliza muitas vezes uma outra palavra com sentido análogo. O problema é que muitas vezes esta outra palavra é menos apropriada e isto reforça a idéia de que ele é incapaz de se comunicar com eficiência.

7- Ficar recuado

Outra maneira de não gaguejar é, simplesmente, evitar falar. Talvez você se lembre de ter ouvido em silêncio alguém dizendo as maiores asneiras sem ousar dizer algo para interrompê-lo. É provavelmente a situação mais difícil e mais frustrante para um gago.

8- Evitar o olhar

Os gagos tendem a evitar o olhar de seus interlocutores provavelmente porque eles não suportam ver a reação destes quando eles começam a gaguejar. Esta atitude torna a comunicação com as outras pessoas, muito difícil.

9- Tendência a ficar estático

Os gagos estão tão preocupados com o medo de gaguejar, que esquecem de utilizar a linguagem gestual.

10- Falar baixo Muitos gagos não falam forte porque temem que muitas pessoas os ouçam gaguejar.

11- Resistência às mudanças

Quase todos os gagos evidentemente têm vontade de eliminar a gagueira. Mas a natureza humana há horror da mudança. Consciente ou inconscientemente, sabem que se superarem esta deficiência, a maneira deles viverem será profundamente modificada. Eles terão que falar muito mais, encontrar mais pessoas, ter uma vida social mais ativa. É possível que o subconsciente deles não se sinta preparado para assumir todas estas mudanças. E desta maneira pode sabotar todo o esforço de melhora da elocução.
Agora você começa a compreender que a gagueira não é somente um problema de elocução. A gagueira é um fenômeno complexo que controla todo o corpo e o espírito. Ela afeta totalmente a pessoa e inclui todo tipo de comportamentos, emoções, percepções e de sentimentos.
Um tratamento que se focalize unicamente sobre a má elocução falhará seguramente. Para vencer a gagueira, é necessário recorrer a uma terapia que englobe o problema em sua totalidade.

O próximo capítulo o explicará como a contração dos músculos do mecanismo Valsalva interfere na elocução. No terceiro capítulo veremos como os diferentes elementos do iceberg da gagueira interagem e reforçam uns aos outros.

O iceberg da gagueira

  • Bloqueios, repetições de sílabas
  • Contração dos músculos do mecanismo Valsalva
  • Respiração irregular
  • Emoções, sentimentos e sensações negativas
  • Substituição de palavras
  • Tendência a ficar estático
  • Utilização de palavras tapaburaco
  • Medo de situações inesperadas
  • Tendência a ficar recuado
  • Tendência a evitar o olhar
  • Falar mais alto
  • Resistência à mudança


Capítulo 2

Contração muscular e gagueira

Neste capítulo veremos como a contração involuntária de certos músculos interfere na elocução e desencadeia a gagueira. Estes músculos pertencem ao que a comunidade científica chama de “mecanismo Valsalva”. A maneira como os músculos do mecanismo Valsalva interferem na fala é explicado em detalhe no excelente livro de William D. Parry “Understanding & Controlling Stuttering. A Comprehensive New Approach Based on the Valsalva Hypothesis”.
Este capítulo dará somente uma visão geral do fenômeno. Eu explicarei unicamente os elementos que você precisa compreender para dominar a gagueira. Se você entende inglês e deseja compreender profundamente o mecanismo Valsalva e a maneira como ele interfere na elocução, eu recomendo a compra do livro de William D. Parry. Você pode comprá-lo por correspondência no sítio www.amazon.com.

A manobra Valsalva

O que acontece quando você levanta um objeto pesado? Você começa inspirando; em seguida, bloqueia a respiração, pega o objeto e estende os músculos do braço para levantá-lo.

Você já se perguntou por que começa por inspirar e bloquear a respiração antes de levantar um objeto pesado? Você faz isso para encher o peito e o abdômen de ar e torná-los mais rígidos para suportar o peso do objeto.
Para reter a respiração, você fecha a laringe. A laringe se situa na garganta e tem duas funções distintas: emitir os sons quando você fala e bloquear quando você faz um esforço intenso, por exemplo, quando você levanta uma mala.
Reter a respiração fechando a laringe não é suficiente para manter a rigidez do peito e do abdômen. Também é necessário contrair os músculos abdominais. Assim, você comprime os intestinos; este ato teria conseqüências desagradáveis (defecação involuntária) se você não contraísse instintivamente os músculos anais. De facto quando você defeca intencionalmente, você retém a respiração, estende os músculos abdominais e relaxa os músculos anais ao invés de contraí-los.
Para resumir: quando você levanta um objeto pesado você retém a respiração e contrai diferentes músculos: os músculos da laringe, do peito, do abdômen e do ânus. Quando você contrai simultaneamente todos estes músculos está realizando o que chamamos de manobra Valsalva. Os músculos do mecanismo Valsalva têm o hábito de trabalharem juntos e de maneira sincronizada. Se você contrai os músculos anais, perceberá que os músculos do abdômen, do peito e da laringe se contraem também.
Tente contrair os músculos abdominais. O que acontece? A laringe e o ânus se contraem também. O mesmo acontecerá se você bloquear a laringe, os músculos do abdômen e do ânus seguirão o movimento.
Para melhor compreender o que acontece durante uma manobra Valsalva faça o seguinte exercício: inspire, bloqueie a respiração, e mantenha a pressão nos pulmões como se você fosse levantar peso. Faça o exercício moderadamente porque pode ser mortal se você tem um problema cardíaco.
Sinta como os músculos peitorais, abdominais e laríngeos estão contraídos. Sinta como seu ânus e laringe estão fechados. Observe que seus lábios estão fortemente cerrados. Sua língua e mandíbulas também estão contraídas.
É o conjunto do mecanismo da fala que está envolvido pela manobra Valsalva.

Manobra Valsalva e gagueira

A manobra Valsalva é certamente um assunto interessante, mas qual é a relação com a gagueira?
Como já foi explicado a laringe tem basicamente duas funções: oclusão no momento em que você faz um esforço e emissão de sons (fala).
Durante o bloqueio ao esforço, a laringe se fecha completamente impedindo o ar de sair dos pulmões.
Durante a fala, as cordas vocais da laringe não se fecham completamente e o ar sai aos poucos dos pulmões. Ondas de ar fazem vibrar as cordas vocais, produzindo assim os sons que constituem a fala. A gagueira se produz quando a manobra Valsalva interfere na emissão de sons ativando a oclusão da laringe. A laringe se fecha completamente e o ar não pode mais sair dos pulmões. As cordas vocais não vibram mais e a fala é subitamente interrompida.
Em certos casos, você pode relaxar levemente os músculos da laringe e então uma ou mais palavras sairão. Em seguida, você bloqueará novamente, porque realizou uma outra manobra Valsalva. Talvez você repetirá a mesma sílaba cada vez que conseguir relaxar a laringe durante um breve momento.
A manobra Valsalva não afeta somente a laringe. Como já foi explicado, quando você faz uma manobra Valsalva, os músculos do ânus, do abdômen, do peito e da laringe não são os únicos a se contraírem. Os músculos dos lábios e da língua também vão se contrair. Recomece uma manobra Valsalva agora e observe a sensação nos lábios e na língua. Eu tenho certeza que isto o fará pensar na sensação que você tem na boca quando gagueja.
Uma manobra Valsalva afeta o mecanismo da fala simultaneamente de diferentes maneiras: ela bloqueia a reserva de ar, impede as cordas vocais de vibrarem, e adormece a língua e os lábios.
Por que você efetua uma manobra Valsalva quando fala? As razões não são muito claras. Talvez inconscientemente você pensa que as palavras são objetos que têm que ser evacuados com força e realiza uma manobra Valsalva, mais ou menos como quando você quer esvaziar os intestinos ou quando está parindo. Talvez você ache que falar é difícil e tem que implicar um enorme esforço físico, e instintivamente, pense que uma manobra Valsalva o ajudará a expulsar as palavras do corpo.
Ou talvez se dê ao fato de o organismo de um gago reage de maneira diferente ao estresse. Cada tem uma reação quando está estressada. Por causa do estresse, algumas pessoas têm dor de cabeça, outras desenvolvem uma úlcera no estômago ou ainda têm perda de cabelo. Uma minoria (2%) reage ao estresse contraindo os músculos do mecanismo Valsalva. Os gagos pertencem a esta minoria...
Sejam quais forem as razões que o obrigam a efetuar uma manobra Valsalva durante a fala, o importante é que você compreenda como isto afeta a elocução.
Compreender o mecanismo Valsalva é extremamente importante se você quiser ser capaz de controlar a gagueira.

Fácil?

Talvez você esteja começando a pensar: é muito fácil falar sem gaguejar, basta evitar fazer uma manobra Valsalva enquanto eu falo!”

Fácil?

A próxima vez que você for à padaria, não se surpreenda se voltar com um sonho no lugar do p-p-p-p-pão doce que você queria comer. Você se decepcionaria ao perceber que a compreensão teórica da manobra Valsalva e seu efeito no mecanismo da fala não são suficientes para vencer a gagueira.
As crianças têm a impressão de que é fácil dirigir um carro: tudo o que você tem a fazer é pisar no acelerador para ir mais rápido, pisar no freio para parar e virar o volante para mudar de direcção. Isto parece muito fácil. O primeiro dia na autoescola, o adolescente descobre subitamente que não é tão fácil assim e que ele terá provavelmente que dirigir mais de mil quilômetros antes de se sentir realmente à vontade ao volante.
Se você está acostumado a dirigir um carro com transmissão manual e que acontece de alugar um carro automático, você inevitavelmente terá dificuldades.
Serão provavelmente necessários alguns quilômetros antes que seu pé esquerdo se acostume à ociosidade. Durante este tempo, ele procurará a embreagem a cada vez que você se aproximar de um semáforo.

E se você fizer o inverso, passar de um carro automático a um carro a transmissão manual, você terá certamente dificuldades a se habituar à passagem da marcha. Será necessário algum tempo para que você não deixe o motor morrer em cada semáforo ou parada.
Aprender a falar com uma boa elocução, é um pouco como dirigir um carro. Isto implica a aprendizagem de uma série de mecanismos que são acionados mais ou menos conscientemente pelo nosso corpo. Quando você tem que mudar de direção não precisa pensar em que músculos deve contrair ou relaxar para girar o volante.
Você simplesmente decide onde quer ir e o seu cérebro, mãos e braços fazem o trabalho quase inconscientemente. Da mesma maneira, a fala implica a contração e o relaxamento de múltiplos músculos que controlam a inspiração e expiração, o movimento das cordas vocais, dos lábios e da língua. Se você gaguejar, isto significa que a manobra Valsalva interfere inconscientemente neste complexo processo. Os hábitos inconscientes são difíceis a serem mudados e isso levará meses, talvez até um ano, antes que você consiga falar sem gaguejar.

Na segunda parte deste livro, você encontrará exercícios que têm como objetivo relaxar a laringe e impedir a manobra Valsalva de interferir na fala. Praticando esses exercícios você aprenderá gradualmente a controlar sua gagueira e melhorar sua expressão oral.

Referências

PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992
SCHWARTZ, Dr. Martin F., Stutter no more, www. Stuttering.com, 1991

Capítulo 3

Interação entre os diferentes elementos do iceberg da gagueira

No primeiro capítulo, comparamos a gagueira a um iceberg e sugerimos que a maior parte do fenômeno está escondido na superfície. Agora vamos estudar mais profundamente este conceito e ver como os diferentes elementos do iceberg se reforçam uns aos outros e trabalham juntos com o mesmo objetivo autodestrutivo: a gagueira.
Examinemos os diferentes elementos do iceberg e veremos como eles interagem.
Contração dos músculos do mecanismo Valsalva Você provavelmente sabe o que sentimos quando os músculos do mecanismo Valsalva estão contraídos. O ânus e o abdômen se contraem e isto se traduz por uma estranha sensação na barriga. Quando a contração chega ao máximo, você sente também um adormecimento dos lábios e da língua. Você tem dificuldade a respirar de maneira descontraída.
Você sabe que se falar, provavelmente gaguejará. Então, é possível, que se acostume a ficar recuado e a evitar fazê-lo. Se você não pode evitar falar, utilizará palavras tapa-buracos esperando que isto dará o impulso necessário para atravessar as palavras que parecem difíceis. Você se refugiará na substituição de palavras e utilizará palavras alternativas cada vez que sentirá que está a ponto de gaguejar. Você falará em voz baixa porque não se sente à vontade; evitará o contato visual, porque não quer ver a reação do seu interlocutor se você começar a gaguejar. Porque os músculos do mecanismo Valsalva estão contraídos, você se sente mal; e prefere não se mexer evitando, assim, utilizar a linguagem corporal.

Respiração irregular

Se não tiver bastante ar nos pulmões, você falará em voz baixa. E costumará falar mais rápido a fim de terminar sua frase antes que os pulmões estejam completamente vazios. Falar mais rápido é estressante e pode levar à contração dos músculos de seu mecanismo Valsalva. Se você inspirar profundamente e prender a respiração antes de começar a falar, você provavelmente iniciará uma manobra Valsalva.

Tendência a ficar recuado

Se você ficar recuado e guardar para você mesmo o que quer dizer, se sentirá frustrado por sua incapacidade de se comunicar. Você ficará remoendo isto e conseqüentemente vai provocar um imenso estresse tornando a contração do seu mecanismo Valsalva inevitável.

Medo de situações inesperadas

Se você teme uma situação inesperada onde tenha que falar, ficará provavelmente recuado. Se você falar, irá recorrer às palavras tapa-buracos e à substituição de palavras. Provavelmente falará em voz baixa e estará tenso demais para utilizar a linguagem corporal. O medo gera estresse e este leva à contração do mecanismo Valsalva. A apreensão de encontrar uma situação inesperada vai diminuir sua autoconfiança.

Emoções, sentimentos e sensações negativas

Se você sente vergonha, culpa, frustração, embaraço; se, se sente desconsiderado e sem autoconfiança, falará baixo e evitará o contato visual. Se você não se sentir bastante confiante para reivindicar seu espaço, provavelmente ficará estático. Se não tem confiança em você mesmo, evitará falar e ficará isolado. Estas emoções e sensações negativas são estressantes e você contrairá os músculos de seu mecanismo Valsalva.

Utilização de palavras tapa-buraco

Se você utiliza palavras tapa-buraco, poderá ser capaz de evitar a gagueira com sucesso. Mas sentirá vergonha da maneira como fala. Você sabe perfeitamente que não é normal utilizar tantas palavras desnecessárias e que não querem dizer nada.
Inevitavelmente isto prejudicará sua auto-estima. Você utilizará palavras parasitas para iniciar e em seguida, acelerará seu discurso esperando não gaguejar. Se falar rápido, você se estressará e contrairá os músculos do mecanismo Valsalva. Sua mente estará tão ocupada pela utilização de palavras tapa-buraco que você não terá tempo de utilizar a linguagem corporal.

Substituição de palavras

Se você recorre à substituição de palavras, quer dizer que deve detectar com antecedência as palavras temidas. Cada vez que você sentir estas palavras chegarem, tem que refletir a uma alternativa. Tudo isso é cansativo, estressante e arrisca ativar a contração do mecanismo Valsalva.
Você possivelmente não exprimirá exatamente sua maneira de pensar, ou encomendará um prato que você não gosta e isto levará a emoções e sentimentos negativos tais como vergonha, frustração, embaraço, falta de confiança.
Você está tão ocupado a evitar palavras difíceis que provavelmente esquecerá de utilizar a linguagem corporal.

Tendência a evitar o olhar

Se você não guarda o contato visual, não estará em sintonia com seu interlocutor.
Você terá tendência a estar embaraçado, e não se sentirá à vontade com ele; e isso dará origem ao estresse ao qual os gagos reagem contraindo seu mecanismo Valsalva.

Tendência a ficar estático e a não utilizar a linguagem corporal

Se você ficar estático, não conseguirá relaxar. Corre o risco de ficar mais estressado, reforçando a tendência a deixar contrair seu mecanismo Valsalva.

Falar em voz baixa

Se você fala em voz baixa, isto se traduzirá em falta de autoconfiança. Você terá menos autoridade e será menos convincente e em seguida é provável que as pessoas
não o ouçam. Você se sentirá embaraçado.

Resistência às mudanças

Se seu inconsciente resiste às mudanças, você irá deliberadamente contrair seu mecanismo Valsalva e gaguejar. Você aprende a viver com sentimentos, emoções e sensações negativas. A utilização de palavras parasitas, o facto de manter-se recuado, evitar a utilização da linguagem corporal, o medo de situações inesperadas, a fuga do contato visual e a substituição de palavras, se integrarão à sua maneira de viver.

Bloqueio e repetição de sílabas

Se você gagueja, se sentirá estressado e contrairá seu mecanismo Valsalva. Você se sentirá envergonhado, embaraçado e frustrado pela sua incapacidade de se comunicar. Você se sentirá culpado de não conseguir na vida o que acha que poderia fazer se você não fosse gago. Você não será autoconfiante e a sua autoestima será diminuída.
Os bloqueios devidos à gagueira vão interromper a saída de ar e desencadearão uma respiração irregular. Você utilizará palavras inúteis esperando que isso o permitirá de ultrapassar as palavras difíceis. Você começará a contornar para evitar as palavras temidas. O medo de situações inesperadas, a tendência a ficar recuado, serão reforçados. Você evitará o contato visual porque não quer ver a reação de seu auditor. Você falará em voz baixa para que o mínimo de pessoas perceba a sua gagueira.

Todo seu corpo será entorpecido pelos bloqueios da gagueira e você ficará estático, incapaz de utilizar a linguagem corporal. Em certos casos, o facto de gaguejar o ajudará; você poderá (geralmente inconscientemente) utilizar a gagueira como desculpa para evitar responder a uma pergunta embaraçosa. Isto reforçará sua resistência à troca.

A complexidade da gagueira
Agora, vejamos a ilustração da página 25: isto parece uma grande confusão... Eu simplesmente relacionei cada um dos elementos do iceberg da gagueira que já foram mencionados. Se há um traçado a duas flechas significa que os dois elementos estão ligados por uma dupla relação de causa e/ou efeito. Cada elemento é ao mesmo tempo a conseqüência e a causa um do outro.Se há uma só flecha, isto quer dizer que a relação é num só sentido: um elemento é a causa e o outro a conseqüência, a flecha indica a conseqüência.

O diagrama demonstra claramente a complexidade da gagueira. A gagueira não é somente um problema de elocução, mas uma série de problemas que se reforçam uns aos outros. A única maneira de suprimir a gagueira é tratar separadamente cada elemento. Se você tratar somente o defeito de elocução, talvez possa temporariamente se exprimir com desembaraço, mas provavelmente terá uma recaída em algumas semanas, talvez um mês mais tarde porque os outros elementos do fenômeno da gagueira terão regenerado os problemas de elocução.
A mesma coisa pode ser dita de cada um dos elementos do iceberg da gagueira.
Por exemplo, você poderá pensar positivamente para erradicar as emoções, sentimentos e sensações negativas ligadas à gagueira. Por alguns dias, seu moral será muito bom, mas os outros elementos ainda estão lá.
Você ainda reagirá ao estresse contraindo seu mecanismo Valsalva. Ainda gaguejará, seu diálogo continuará cheio de palavras parasitas, e continuará a encomendar alimentos que não quer, continuará a evitar de olhar as pessoas nos olhos, continuará a ter a respiração irregular, continuará a falar em voz baixa, e seu discurso continuará apagado porque você não consegue utilizar a linguagem corporal. E suas emoções, sensações e sentimentos negativos inevitavelmente voltarão à superfície...

A gagueira é como uma erva daninha

Se você corta uma erva daninha do seu jardim, tem a impressão de ter resolvido o problema: a erva daninha não sendo mais visível, o jardim parece limpo. Mas cortar a erva daninha é uma solução temporária: ela provavelmente brotará alguns dias ou semanas mais tarde. Se você quiser resolver definitivamente o problema, terá que arrancar as raízes. É radical, mais longo e difícil, mas é a única solução.

No próximo capítulo veremos em detalhe como arrancar as raízes da gagueira.

Referência
FRASER Malcom, Self-therapy for the stutterer, Stuttering Foundation, 1978
HARRISON, John C., Conquer Your Fears of Speaking before People, National Stuttering
Association, 1989
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, Acomprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992

A complexidade da gagueira

  • Bloqueios, repetições de sílabas
  • Contração dos músculos do mecanismo Valsalva
  • Sentimentos, emoções e sensações
  • Utilização de palavras tapa buraco
  • Substituição de palavras
  • Tendência a ficar recuado
  • Tendência a evitar o olhar
  • Tendência a ficar estático
  • Falar em voz baixa
  • Respiração irregular
  • Medo de situações inesperadas
  • Resistência às mudanças

Capítulo 4

O iceberg da boa elocução

O iceberg da boa elocução é muito parecido ao iceberg da gagueira. Porém, este é construtivo e não destrutivo. O ápice do iceberg representa a boa elocução. Abaixo da linha de flutuação, você encontrará igualmente onze elementos. Cada elemento do iceberg da boa elocução é o oposto de um elemento do iceberg da gagueira. Todos os elementos do iceberg da boa elocução interagem e se reforçam contribuindo assim a desenvolver e manter uma boa elocução durável.
Na página 31 você verá uma figura ilustrando o iceberg da boa elocução. Veremos agora como os diferentes elementos interagem.

Relaxamento dos músculos do mecanismo Valsalva

Durante este tratamento, você aprenderá a relaxar os músculos de sua laringe ao mesmo tempo que os outros músculos do mecanismo Valsalva. Também aprenderá a reagir ao estresse relaxando seu mecanismo Valsalva ao invés de contraí-lo. Essas técnicas contribuirão à melhora de sua boa elocução. Relaxando seu mecanismo Valsalva, sua respiração será mais regular. Você estará mais relaxado e isto facilitará a utilização da linguagem corporal. Relaxando seu mecanismo Valsalva, o medo de bloqueios iminentes diminuirá e você se sentirá mais seguro e ousado.
Você provavelmente utilizará menos palavras inúteis ou de substituição. Se o medo não já existe será mais fácil olhar as pessoas nos olhos. Se estiver mais relaxado, será mais convincente e falará mais alto.


Respiração e fala sincronizados

Você aprenderá a respirar de maneira relaxada e a sincronizar a fala e a respiração.
Isso terá um efeito directo sobre sua elocução e contribuirá ao relaxamento de seu mecanismo Valsalva. Esta melhora de sua respiração fornecerá bastante ar a seus pulmões possibilitando que você fale mais forte.
Emoções, sentimentos e percepções positivas Alguns dos exercícios desta terapia têm por objetivo mudar as emoções, sentimento e percepções que você tem a respeito de seus problemas de elocução. Você aprenderá a olhar seus problemas mais objetivamente e isto reduzirá ou eliminará os sentimentos de vergonha, culpa, de frustração e de embaraço. Isso impedirá a gagueira de sabotar sua estima pessoal e sua autoconfiança. Se você não se sentir envergonhado ou embaraçado por sua gagueira, será mais fácil olhar os outros nos olhos. Se você tiver confiança em você mesmo, você será mais extrovertido, você falará em voz mais alta e utilizará a linguagem corporal. Se você tiver emoções, sentimentos e percepções positivos você estará mais à vontade, mais relaxado e por conseqüência provavelmente menos propenso a ativar a manobra Valsalva. Seu espírito não será mais atormentado pela confusão e isto contribuirá à melhora de sua elocução.

Falar sem palavras tapa-buraco

Se você evitar utilizar palavras parasitas, a estrutura gramatical de suas frases melhorará. Você se sentirá melhor e se afirmará mais facilmente. Isso melhorará as emoções, sentimentos e percepções que você tem em relação a sua elocução. Você não desperdiçará sua reserva de ar a produzir palavras inúteis e sem nenhum sentido e será mais fácil sincronizar fala e respiração e a falar mais alto.

À vontade em todas as circunstâncias

À medida que você avançar na terapia, você reduzirá progressivamente seu medo de situações onde tem que falar em publico. Você não ficará mais recuado. Se o medo é reduzido, o estresse também o será e você terá menos propensão a contrair seu mecanismo Valsalva. Será mais fácil respirar de maneira descontraída. Estando à vontade, suas emoções, sentimentos e percepções serão melhorados e será mais fácil olhar os outros nos olhos e utilizar a linguagem corporal. Você
provavelmente utilizará menos palavras tapa-buraco. Se você estiver mais à vontade em todas as circunstâncias, seu inconsciente não conseguirá sabotar seus esforços.

Extrovertido

À medida que você progredir nos exercícios, você se sentirá entusiasmado pelo seu progresso. Isto o estimulará e você será mais falante e ousado e isto terá efeitos sobre os outros elementos do iceberg da boa elocução. Sendo mais extrovertido, você estará mais à vontade em todas as circunstâncias, mesmo as mais difíceis.
Você se sentirá orgulhoso de sua capacidade de se comunicar e isso aumentará as emoções, sentimentos e percepções positivos ligados à fala. Você se afirmará mais facilmente e será mais fácil olhar seu interlocutor nos olhos, falar mais alto e utilizar a linguagem corporal.

Fale sem recorrer à substituição de palavras

A técnica da substituição de palavras é estressante: você deve se concentrar constantemente para detectar as palavras mais difíceis e tentar encontrar alternativas. Se você renunciar a utilizar a substituição, você estará menos estressado e correrá menos risco de iniciar uma manobra Valsalva. Você não traíra mais suas opiniões e comerá o que quiser. Você terá uma imagem mais positiva de você mesmo. Você será mais seguro e será mais fácil olhar as pessoas
nos olhos, falar mais alto e utilizar a linguagem corporal.

Olhe nos olhos

Se você guardar o contato visual, você ficará em contato com seu interlocutor. Será fácil utilizar a linguagem corporal, você se sentirá mais relaxado e a ativação do mecanismo Valsalva será menos provável. A comunicação com os outros será mais eficaz e isto reforçará as emoções, sentimentos e percepções positivos ligados a seu discurso. O facto de falar e de se comunicar com os outros se tornará mais agradável e, então, você terá menos medo de situações difíceis onde tem que falar.

Utilização da linguagem corporal

A utilização da linguagem corporal torna a comunicação mais eficaz e viva. Usando você será mais extrovertido e seguro. Você falará mais alto e terá vontade de olhar os outros nos olhos para ver como eles reagirão à sua linguagem corporal. O facto de se mover dá um efeito relaxante sobre o mecanismo Valsalva e o ajudará a melhorar sua respiração. Você estará mais à vontade, mesmo nas situações mais difíceis. Se você estiver mais à vontade, provavelmente, utilizará menos palavras inúteis e não recorrerá à substituição de palavras.

Falar mais forte

Se você falar mais forte, suas cordas vocais vibrarão intensamente e isto há um efeito relaxante sobre o mecanismo Valsalva. O que melhora a elocução. Você será mais convincente, as pessoas estarão mais dispostas a ouvir e isso reforçará sua confiança. Se os outros o ouvem com atenção, você falará mais e se tornará extrovertido.Você poderia até animar uma conversa utilizando a linguagem do corpo. Se você falar mais forte, você precisará de mais ar e conseqüentemente você respirará mais regularmente.

Subconsciente deseja mudança

Se seu subconsciente quer mudar, então as coisas serão muito mais fáceis. Você sabe que seus esforços não serão sabotados. Seu inconsciente terá um efeito positivo sobre cada um dos elementos do iceberg da elocução.

Boa elocução

Se sua elocução é boa, seu mecanismo Valsalva será mais relaxado. Você não terá nenhuma razão de utilizar palavras inúteis ou de substituí-las. Você se sentirá mais à vontade em todas as circunstâncias. Você terá mais vontade de falar e será mais extrovertido. Será mais fácil olhar os outros nos olhos. Você falará mais forte porque não terá nenhuma gagueira a esconder. Você se sentirá orgulhoso de você mesmo e isto melhorará as emoções, sentimentos, percepções positivos que você tem a respeito de sua elocução.

A complexidade de uma elocução normal

Agora olhemos a figura da página 32: ela parece tão desordenada quanto aquela descrevendo a complexidade da gagueira. Mas esta vez é uma desordem positiva, e que favorece de maneira construtiva a boa elocução.
De qualquer maneira, eu acho que agora, você compreendeu como funciona esta terapia. Você trabalhará cada um dos elementos do iceberg da gagueira e substituirá por seu equivalente do iceberg da boa elocução. Os elementos do iceberg da boa elocução se reforçarão com o tempo e trabalharão conjuntamente para obter uma boa elocução. Você criará um sistema estável, capaz de manter a boa elocução por toda a vida.

O iceberg da boa elocução

  • Boa elocução
  • Relaxamento dos músculos do mecanismo Valsalva
  • Respiração e fala sincronizadas
  • Emoções, sentimentos e sensações positivas
  • Falar sem recorrer à substituição de palavras
  • Utilização da linguagem corporal
  • Falar sem utilizar palavras tapa-buraco
  • À vontade em todas as circunstâncias
  • Extrovertido
  • Olhar nos olhos
  • Falar mais alto

A complexidade da boa elocução

  • Boa elocução
  • Relaxamento dos músculos do mecanismo
  • Valsalva Emoções, sentimentos e sensações positivas
  • Falar sem utilizar palavras tapa-buraco
  • Falar sem recorrer à substituição de palavras
  • Extrovertido
  • Olhar nos olhos
  • Utilização da linguagem corporal
  • Falar mais alto
  • Sincronização entre fala e respiração
  • À vontade em todas as circunstâncias
  • Subconsciente querendo mudança

Segunda parte
Terapia destinada a adultos e adolescentes

Introdução

Na primeira parte, eu mostrei as bases teóricas necessárias para que você compreenda como controlar sua gagueira.
A compreensão do fenômeno é um passo importante na boa direção, mas não é suficiente para ter uma boa elocução. Você terá que fazer alguns exercícios a fim de modificar os diferentes elementos ligados à gagueira.
Estes exercícios estão divididos em duas séries. A primeira terá por objetivo impedir o mecanismo Valsalva de interferir em sua elocução. Estes exercícios são extremamente importantes porque se focalizam sobre o elemento mais importante do fenômeno da gagueira. Esta primeira série de exercícios é provavelmente suficiente para obter melhoras significativas de sua elocução após alguns dias, semanas ou meses de prática.
Mas esta primeira série de exercícios não é suficiente se você quiser chegar a um controle duradouro e satisfatório da gagueira. Como já vimos na primeira parte, a gagueira é um fenômeno complexo que envolve uma série de comportamentos ligados a ela. Se esses comportamentos não forem modificados, a gagueira voltará fortificada cedo ou tarde e você se verá novamente naufragado no iceberg da gagueira.
Por esta razão, a primeira série de exercícios é seguida de uma segunda, destinada a mudar seu comportamento, suas emoções, sentimentos e sensações.
Você aprenderá entre outras coisas a olhar os outros nos olhos, a combater suas intenções, a utilizar a linguagem gestual, a mudar sua percepção a respeito da gagueira, sobre você mesmo e os outros.


Trinta exercícios foram reservados para que você se ocupe durante os próximos meses. Não se precipite. Leve o tempo necessário para fazê-los escrupulosamente.
Provavelmente você gostaria de obter uma excelente elocução em alguns dias, mas infelizmente não é possível. Você terá que trabalhar duro por alguns meses antes que este sonho se realize.
Se desejar, você poderá dar uma olhada nos exercícios para ter uma idéia geral da terapia em seguida inicie os exercícios um após o outro. Eu o aconselho a trabalhar cotidianamente sobre os exercícios. Alguns deles são muito simples, basta ler e refletir por trinta minutos ou uma hora; em seguida, você poderá passar ao exercício seguinte.
Outros exercícios são mais difíceis e incluirão técnicas que você terá que praticar por dias ou semanas antes de poder dominá-las completamente. Por exemplo, olhar seu interlocutor nos olhos será difícil e você talvez tenha que praticar por duas ou três semanas antes que se torne natural. Certifique-se de ser capaz de realizá-lo antes de abordar o seguinte.
Você perceberá que este livro o ensinará diferentes técnicas para melhorar a elocução. Como já foi dito, não há dois gagos idênticos e uma técnica poderá fazer milagres por um gago e ser completamente ineficaz por um outro. Talvez você considere todas as técnicas úteis. Ou então, achará que uma, duas, talvez mais, não funcionarão para você. Sinta-se livre para adaptar a terapia descrita neste livro a seu caso se sentir a necessidade de fazê-lo.
À medida que você avançar nos exercícios sentirá que ganhará terreno no combate contra a gagueira. As melhoras serão lentas, mas duradouras. Uma vez feitos os trinta exercícios é possível que você ainda gagueje, mas seguramente menos que antes. Eu recomendo a releitura de todos os exercícios e de assegurar-se de ter incorporado perfeitamente todas as técnicas na sua nova maneira de viver.
Continue trabalhando seus pontos fracos, e certifique-se de que suas percepções a respeito da gagueira, assim como, seu comportamento; foram modificados da maneira adequada.
Seja perseverante e faça os exercícios até obter uma boa elocução.

Não force muito

Como já foi explicado a gagueira ocorre porque o gago acredita que as palavras devem ser fisicamente expulsas de corpo utilizando o mecanismo Valsalva. Fazendo esses exercícios você deve prestar atenção para não iniciar uma manobra Valsalva forçando para falar correctamente. Não esqueça de que se você forçar para falar correctamente, maior é o risco de gaguejar. Dê tempo ao tempo e lembre-se de que a gagueira não será eliminada de um dia para o outro.

Recaída

O caminho em direção à boa elocução se parece muito com uma montanha russa cheia de “altos” e “baixos”. Só após algumas vitórias e derrotas a boa elocução se tornará permanente.
Talvez você obtenha uma boa elocução em alguns dias ou semanas, e então, você pensará que você não gaguejará nunca mais. E se um pouco mais tarde, tiver uma recaída você terá a impressão de que o mundo desaba à sua volta. Em caso de recaída, não entre em pânico. Isso é absolutamente normal, e é melhor pensa que mais cedo ou mais tarde isso acontecerá. Pense que você já foi capaz de controlar a gagueira e que logo será capaz de fazê-lo novamente. Enquanto
isso, tente gaguejar de propósito sem vergonha ou timidez. Aplique calmamente as técnicas que o ajudaram da primeira vez a obter uma boa elocução.

Não diga a ninguém que você já não gagueja

Quando você obtiver uma boa elocução, não diga a ninguém a sua volta que você já não gagueja. Senão você se verá numa situação onde terá que evitar gaguejar. Você deve permanentemente se esforçar para falar corretamente, e quanto mais esforço você fizer, maior será o risco de iniciar acidentalmente uma manobra Valsalva e gaguejar.

Esqueça que você é gago

Como foi dito por Wendell Johnson: “A gagueira acontece quando você tenta não gaguejar novamente”. Em outras palavras, você gagueja porque se lembra de já ter gaguejado um dia e por estar ansioso com a idéia de que poderia gaguejar novamente. O simples facto de pensar na gagueira e de se lembrar de experiências passadas pode contrair seu mecanismo Valsalva e risca ativar a gagueira.
Se você conseguir esquecer que é gago tão facilmente quanto eu esqueço a data do meu aniversário de casamento, você poderá resolver seu problema imediatamente. Infelizmente, é muito difícil esquecer que você é gago. Quanto mais você se concentra para esquecer a gagueira mais você se lembra.
Ao invés de eliminar brutalmente a gagueira de sua mente, você deve contornar o problema e proceder em duas etapas: primeiramente, concentrando-se na gagueira, você compreenderá como ela funciona e como controlá-la. Em seguida, se tornará mais fácil esquecer a gagueira.

Primeira etapa: Concentre-se na gagueira

Primeiramente, é necessário compreender o mecanismo da gagueira e como os elementos do iceberg da gagueira se interagem. Releia se for preciso, os capítulos precedentes.
Em seguida, faça os exercícios descritos neste livro para melhorar sua elocução e substituir cada um dos elementos do iceberg da gagueira por seu equivalente do iceberg da boa elocução. Desta maneira, você não só aprenderá a controlar a gagueira, mas também a eliminar os comportamentos, as percepções e sentimentos associados à gagueira. Através destes exercícios, você reeducará seu mecanismo da fala, e gradualmente vai se tornar mais confiante na sua aptidão a falar bem. Você se comportará e verá a comunicação oral da mesma maneira que um não-gago. Seu medo da gagueira e outros sentimentos negativos vão desaparecer progressivamente.

Segunda etapa: Esqueça que você é gago

Quando você adquirir confiança em sua capacidade de controlar a gagueira e seus comportamentos, percepções e sentimentos, você estará pronto à esquecer que é gago.
Esconda este livro e todos os outros a respeito da gagueira em uma gaveta, esqueça Phillip Roberts, seu ortofonista, as técnicas de elocução que você aprendeu, os sítios que você consultou e o medo de falar que você tinha.
Faça como se você não fosse gago. Saia e fale naturalmente como o faria se nunca tivesse gaguejado e veja o que acontece.
Se não der certo, você sempre pode recomeçar tudo, tirar este livro da gaveta, refazer os exercícios e tentar novamente quando se sentir pronto para este grande passo.

Fale sobre a gagueira com seu cônjuge

Se você é casado ou se ou se tem alguém em sua vida, eu o aconselho a falar com seu cônjuge sobre seu problema. À medida que você avançará no tratamento, sua personalidade e comportamento mudarão e seu cônjuge terá que se adaptar.
Você provavelmente se tornará mais falante e ousado. Você poderá querer encontrar mais pessoas e passar mais tempo com seus amigos; seu cônjuge poderá ver isto como uma ameaça a intimidade de vocês.
Será mais fácil para seu cônjuge aceitar as mudanças se ele/ela souber o porquê destas mudanças.
É possível que seu cônjuge o proteja consciente ou inconscientemente, por exemplo, respondendo ao telefone ou fazendo o pedido no restaurante quando vocês estão juntos. À medida que você avançará nos exercícios provavelmente vai querer pegar as rédeas de sua vida e não aceitará que seu cônjuge faça tudo por você.
Quando vocês conversarem a respeito da gagueira, talvez perceberão que seu cônjuge nem desconfia que a gagueira há um efeito devastador sobre você. Talvez porque este vê sua gagueira simplesmente como uma maneira original de falar e não compreende por que você perde tanto tempo e faz tantos esforços para resolver este problema aparentemente sem importância.
Após terem conversado, seu cônjuge estará curioso para aprender a respeito da gagueira e você poderá encorajá-lo a ler este livro. Então, você será capaz falar sobre seu progresso e como os diferentes exercícios o ajudam.

Referências
British Stammering Association: http://www.stammering.org/
HARRISON, John C., Conquer Your Fears of Speaking before People, National Stuttering
Association, 1989
JOHNSON, Wendell, People in Quandaries, University of Minnesota Press, 1964
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992
Stuttering Foundation: Transfer and maintenance, 1982


Primeira série de exercícios
Controle Valsalva

Exercício 1

Gagueira voluntária

Por que gaguejar voluntariamente?
Seu objetivo é falar com uma boa elocução e sem dúvida você não se sente realmente entusiasmado com a idéia de fazer um exercício no qual nós o pedimos de gaguejar voluntariamente. Você deve, entretanto, fazer este exercício escrupulosamente porque ele trará importantes benefícios:

1) Isto o ajudará a compreender como o mecanismo Valsalva pode interferir em sua elocução.
2) Você aprenderá a contrair e relaxar conscientemente os músculos do
mecanismo Valsalva durante a fala. Com um pouco de prática, você conseguirá a relaxar seu mecanismo Valsalva cada vez que bloqueará em uma palavra num diálogo real.
3) Isto o ajudará a reduzir o medo de gaguejar.
4) Isto o ajudará a atravessar a barreira da gagueira sem utilizar técnicas de contorno.

Fazer uma manobra Valsalva

Respire, retenha a respiração e faça uma manobra Valsalva como se você levantasse um objeto pesado. Como mencionado anteriormente, uma manobra Valsalva deve ser feita com moderação porque ela pode, em alguns casos, ser fatal.
Sinta a tensão muscular no ânus, abdômen, peito e laringe. Veja como o ânus e a laringe estão bem cerrados. Sinta a tensão na mandíbula e na língua. Veja como seus lábios estão contraídos. Veja como todos estes músculos trabalham juntos e com um só objetivo: enrijecer seu corpo para que você possa levantar o objeto.
Agora, tente falar… Veja que é simplesmente impossível. O mecanismo da fala está completamente bloqueado: o ar não pode passar, sua laringe está completamente fechada, sua mandíbula, língua e lábios também. Veja a que ponto isto se parece ao que você sente quando bloqueia em uma palavra durante uma conversa real. Conscientize-se de que é impossível falar quando realizamos uma manobra Valsalva.

Agora, relaxe seu mecanismo Valsalva e sinta como todos os músculos que estavam implicados na manobra estão completamente relaxados.

Fazer uma manobra Valsalva voluntária enquanto você fala

Una seus lábios como se fosse pronunciar uma sílaba começada pela letra «p», por exemplo, «pa». Em seguida, faça uma manobra Valsalva; veja como seus lábios estão cerrados e como sua laringe se fecha.
Refaça o mesmo exercício, mas desta vez posicione sua língua como se você fosse emitir uma sílaba iniciada por «t», por exemplo, «ta». Em seguida faça uma manobra Valsalva e veja como a ponta de sua língua está pressionada contra o palato. Veja como isto impede o ar de sair dos pulmões.
Em seguida faça o mesmo exercício com a letra «c» (seguida de a, o ou u pronunciada «k»), sinta como o meio de sua língua está pressionada contra o palato.
Veja como isto também impede o ar de sair dos pulmões.
Agora você incorporará estes exercícios em frases e faça uma manobra Valsalva cada vez que você encontrar sílabas que se iniciam pelas seguintes consoantes:

p
t
c (pronunciado k)
Sugiro a leitura de um texto, este livro, por exemplo, em voz alta e que você faça uma manobra Valsalva cada vez que encontrar uma destas consoantes.
Mantenha a tensão muscular em seu mecanismo Valsalva alguns segundos e em seguida relaxe lentamente a pressão antes de continuar a ler. Assegure-se de relaxar lentamente a pressão. Evite soltar bruscamente o ar contido nos pulmões.
Continue a praticar com as consoantes p, t e c até que você domine a gagueira voluntária sobre estas letras. Em seguida, acrescente as outras consoantes à lista.
Continue a praticar até que você domine a gagueira voluntária sobre estas consoantes também.

Ligue para um número verde e gagueje

Eu tenho certeza que você vai querer pular este exercício. Agora que você consegue gaguejar voluntariamente protegido de orelhas indiscretas, você vai praticar falando com outras pessoas…
Eu sei que é um exercício desagradável e a simples idéia de gaguejar voluntariamente na presença de alguém é algo que você gostaria de evitar. Este exercício é muito eficaz porque o permite de endurecer diante do medo da gagueira.
Tente praticar com a família ou os amigos. Você também pode praticar este exercício quando faz o pedido num restaurante. Se você não se sentir à vontade num lugar onde você conhece muita gente, encontre um lugar onde ninguém o conheça.
Você pode também telefonar ao serviço de informação telefônica ou ao ofício de turismo. Seja qual for sua escolha, gagueje o quanto puder!

Recaída

No capítulo precedente (Introdução) nós dizemos que algumas recaídas durante a terapia são muito prováveis. A gagueira voluntária é um excelente meio para prepará-lo a administrar as recaídas.

Quando você obtiver uma boa elocução, eu aconselho de simular uma recaída de vez em quando, gaguejando voluntariamente e após voltando à elocução normal.
Alternando voluntariamente gagueira e boa elocução, você ganhará confiança e as recaídas parecerão menos assustadoras. Você provavelmente terá menos medo e saberá o que fazer para voltar a uma boa elocução.

Referências
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992
Stuttering Foundation: Counseling those who stutter, 1981
Stuttering Foundation: Transfer and maintenance, 1982

Exercício 2
Relaxe seu ânus


Ao longo do segundo capítulo, vimos que a gagueira é causada pelo facto de que o
gago efetua uma manobra Valsalva enquanto fala. Durante uma manobra Valsalva,
os músculos de sua laringe estão contraídos e o ar não pode sair. As cordas vocais
não podem mais vibrar e o gago se encontra numa situação de bloqueio.
Para impedir que uma manobra Valsalva aconteça enquanto você fala, pode ser
útil relaxar os músculos da laringe. Relaxar estes músculos não é coisa fácil; há tantos músculos em jogo, como é difícil relaxar a todos.

Por que relaxar o ânus?

A manobra Valsalva inclui um conjunto de músculos que trabalham juntos.
Músculos situados na laringe, peito, abdômen e ânus. Se você contrai um destes músculos todos os outros se contrairão também. Ao contrário, se você relaxar um, todos os outros vão igualmente se dilatar.
Ao invés de relaxar os músculos de sua laringe talvez você ache mais fácil relaxar o músculo anal e deixar o relaxamento se estender até a garganta.
Certamente isto pode parecer surpreendente, mas é assim: a maneira mais fácil de relaxar sua laringe, é se concentrar no relaxamento do ânus.

O relaxamento progressivo de Jacobson

Você utilizará o relaxamento progressivo de Jacobson para relaxar seu ânus. A idéia de base deste método é começar contraindo gradualmente um músculo e em seguida, relaxando-o gradualmente.
Comece contraindo gradualmente o ânus. Observe a sensação de pressão crescente na região anal. Continue a contraí-lo até atingir uma contração máxima.
Em seguida, relaxe gradual e lentamente seu músculo anal. Observe a sensação de relaxamento crescente na zona ao redor de seu ânus. Chegando ao relaxamento máximo, recomece o exercício novamente. Contraia gradualmente seu músculo anal, e, se possível, tente contraí-lo um pouco mais que da primeira vez. Em seguida, relaxe progressivamente seu ânus e tente relaxar ainda mais que da vez precedente.

Faça isto 5 ou 6 vezes. Observe como seu ânus está relaxado e dilatado. Observe como esta sensação de relaxamento sobe até a barriga, o peito e a laringe.
Concentre-se sobre sua laringe e constate como está relaxada e dilatada. Observe como o relaxamento se propaga em direção às mandíbulas, a boca, os lábios e a língua.

Pratique este exercício o dia todo

De todos os exercícios deste livro, este é provavelmente um dos mais eficazes. Você poderá praticá-lo quando, onde e quantas vezes quiser.
Antes de ter que se exprimir numa situação real, eu sugiro relaxar seu ânus e se assegurar que ele fique bem relaxado enquanto você fala. Após tê-lo relaxado, concentre-se sobre o relaxamento que se estende pelo abdômen, peito e até a garganta e a boca.

Assegure de que seu ânus esteja bem relaxado antes de bater à porta de seu superior hierárquico. Relaxe seu ânus enquanto você faz a fila na padaria ou no banco. Sem dúvida, você já percebeu que quanto maior a fila, mais tempo você tem para se preocupar e mais você arrisca gaguejar. A situação será inversa se você praticar a técnica de relaxamento: quanto maior a fila e quanto mais você tiver tempo para se concentrar no relaxamento de seu ânus menos você terá a
probabilidade de gaguejar.

Referência
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992

Exercício 3
Respiração abdominal

Respiração abdominal / Respiração torácica

Há duas maneiras de respirar: seja utilizando os músculos do peito (respiração torácica), ou utilizando os músculos da barriga (respiração abdominal). A maneira mais relaxante de respirar é utilizando os músculos da barriga. Quando você respira com a barriga, o abdômen se move para frente e para trás. Você pode tranqüilamente verificar se você respira com a barriga deitando-se em uma cama e colocando um objeto sobre sua barriga. Se você respirar com a barriga, você verá o objeto subir e descer.

Respiração abdominal e controle do mecanismo Valsalva

A prática da respiração abdominal o ajudará a relaxar os músculos implicados na manobra Valsalva e ao mesmo tempo dará à laringe a reserva de ar que ela necessita para emitir os sons constitutivos da fala.
Comece relaxando seu ânus utilizando o método de relaxamento progressivo de Jacobson descrito no exercício precedente. Sinta o relaxamento se propagar até o abdômen, o peito, a laringe, os lábios e as mandíbulas.

Em seguida, inspire fazendo salientar lentamente seu abdômen. Inspire um pouco mais profundamente que o habitual. Não retenha o ar. Expire suavemente relaxando os músculos abdominais. Você não deve forçar a saída do ar, mas deixar sair sem esforço através da laringe.

Respirar desta maneira o ajudará a relaxar o mecanismo Valsalva e a fornecer à laringe a pequena reserva de ar que ela necessita para vibrar. Enquanto você inspira e expira, certifique-se de que seu ânus fique bem dilatado. Conscientize-se do estado de relaxamento de todos os músculos de seu sistema Valsalva.
Você também pode praticar este exercício quando e onde quiser, ou puder.
Quero dizer que você deve praticá-lo várias vezes ao dia. Você pode praticá-lo combinando-o com o precedente (relaxamento do ânus) antes de se exprimir em situações que você pensa que são potencialmente difíceis.

Referências
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992

Exercício 4
Evite as manobras Valsalva inúteis


Como explicado anteriormente, nós fazemos uma manobra Valsalva quando precisamos fazer um exercício intenso. Freqüentemente fazemos uma manobra Valsalva quando não é realmente necessário; por exemplo, abrindo uma gaveta ou a porta de um carro. Você pode até fazer uma pegando um trombone no chão.
Evidentemente, em geral, não é uma manobra Valsalva intensa. Contraímos muito levemente os músculos de nosso mecanismo Valsava, mas de qualquer maneira isto não serve a nada.
Eu sugiro que nos próximos dias você preste atenção a este fenômeno e que evite deliberadamente fazer manobras Valsalva excepto quando isto é realmente necessário. O benefício deste exercício é que você se habitue de controlar a utilização das manobras Valsalva e você manterá os músculos de seu mecanismo Valsalva relaxados o tempo todo. Isto o permitirá de controlar melhor sua gagueira.

Ao volante

Você percebeu que tem maior tendência a gaguejar quando dirige um carro que quando faz um agradável passeio com um amigo, ou quando está sentado confortavelmente num sofá?
A razão é simples: temos tendência a efetuar uma manobra Valsalva quando apoiamos nos pedais ou passamos a marcha.

É necessário que você compreenda que um carro não é como uma bicicleta: não é necessário que você apóie tão forte nos pedais! Uma manobra Valsalva intensa geralmente também não é indispensável para virar o volante, a menos que você dirija um carro reboque desprovido de direção assistida.
Também é possível que o estresse pelo fato de dirigir induza à contração dos músculos do mecanismo Valsalva. Esta contração não ajuda em nada à dirigir o carro, e eu sugiro de verificar que seu mecanismo Valsalva esteja bem relaxado, quando você dirigir.
Pratique a respiração abdominal, relaxe os músculos e... Fique concentrado na
estrada e no tráfego.

Fale e dirija

Algumas palavras a respeito da segurança ao volante: aproximadamente um terço dos acidentes de carro são causados pela distração do motorista. Muitas coisas podem distrair o motorista: ajustar o rádio ou a climatização, descer o vidro, colocar uma fita, falar ao telefone, passar a marcha (por isso os carros automáticos são mais seguros), e finalmente, falar com os passageiros.
É evidente que não é uma boa idéia discutir com um passageiro enquanto dirige.
Se você precisar falar enquanto dirige o assunto não deve ser emocional e tem que solicitar uma fraca fração de capacidade cerebral. Não entre num debate político intenso e não peça a um de seus passageiros de explicar a teoria da relatividade de Einstein.

Também é uma boa idéia interromper a conversa para:

- mudar de pista;
- atravessar um cruzamento ou fazer um contorno;
- entrar em uma auto-estrada;
- ultrapassar;
- quando há a fusão de duas pistas;
- cada vez que uma situação potencialmente perigosa exige toda sua
concentração.

Acostumando-se a interromper a conversa nestas situações, você matará dois coelhos com uma cajadada só:

1. Você zela pela sua segurança e de seus passageiros.
2. Você controla a conversa e isto melhorará sua autoconfiança e o ajudará a
gaguejar menos.

Interromper uma conversa não é difícil: se você estiver falando, pare de falar; se o passageiro fala, diga simplesmente “espere um segundo”. Em um caso ou outro, o passageiro perceberá que você está muito ocupado, efetuando uma manobra delicada e compreenderá porque você o pede de suspender temporariamente a conversa.

Referência
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992

Exercício 5
Mude a maneira como seu corpo reage ao estresse


Ao longo do segundo capítulo vimos que as pessoas reagem ao estresse de diferentes maneiras e que os gagos pertencem a uma minoria que reagem ao estresse contraindo os músculos do mecanismo Valsalva. Esta maneira particular de reagir ao estresse é provavelmente a causa principal da gagueira.
O que você vai fazer é muito simples: durante as próximas semanas você relaxará conscientemente seu mecanismo Valsalva a cada vez que você estiver sob pressão. Faça-o a cada vez que se sentir estressado mesmo que você não tenha que falar. Utilize o método de relaxamento progressivo de Jacobson. Saboreie a sensação de relaxamento que se propaga de seu ânus até sua laringe. Respire com o abdômen.

Se você relaxar conscientemente seu mecanismo Valsalva a cada vez que estiver sob pressão, isto se tornará um automatismo.
Evidentemente você continuará a sofrer de estresse como todo mundo. A adrenalina continuará a correr em suas veias, causando todo tipo de efeitos secundários desagradáveis. Mas pelo menos o estresse não afetará mais sua elocução.

Concentre-se nos outros

Quando você está sob pressão, provavelmente você costuma a concentrar-se sob a sensação gerada pela tensão do mecanismo Valsalva. E também, sobre o que acontece em sua cabeça e seu corpo. Fazendo isto, você perde progressivamente o contato com as pessoas a sua volta. Isto aumenta a sensação de desconforto e torna a comunicação mais difícil.

Você deve mudar este comportamento. Quando você estiver sob pressão, tente se concentrar sobre as pessoas ao seu redor. Se você estiver sintonizado com elas se sentirá mais à vontade e sua pressão interior diminuirá. Assim você estará aberto ao mundo exterior e será mais fácil se comunicar.

Referências
FRASER Malcom, Self-therapy for the stutterer, Stuttering Foundation, 1978
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992
SCHWARTZ, Dr Martin F., Stutter no more, www.stuttering.com, 1991

Exercício 6
Mude sua maneira de ver as palavras

Nós sugerimos no segundo capítulo que uma das razões pelas quais nós iniciamos uma manobra Valsalva falando, é que vemos as palavras como objetos duros que têm que ser expulsos do corpo. Supomos erroneamente que a força é necessária para fazer as palavras saírem. Durante a defecação utilizamos com sucesso uma manobra Valsalva para esvaziar nossos intestinos, e pensamos que a mesma estratégia poderia ser utilizada com as palavras.
Temos que compreender que as palavras não são objetos; uma palavra é uma entidade virtual: o resultado de movimentos da língua e dos lábios, de vibrações da laringe e de corrente de ar saindo sem esforço dos pulmões. A emissão de uma palavra não exige esforço. As palavras são essencialmente imateriais.
Pense nisto enquanto você fala e mude a maneira de ver as palavras.
Se você sentir que está a ponto de bloquear em uma palavra, resista à vontade de forçar. Se você bloquear apesar de tudo, pare imediatamente, relaxe seu mecanismo Valsalva e recomece a falar.

Referência
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992

Exercício 7
Sonorize!


Vogais, consoantes sonoras e consoantes surdas Antes de começar este exercício tenho que explicar a diferença entre as vogais, as consoantes sonoras e as consoantes surdas.
Você certamente sabe o que é uma vogal: a, ã, e, é, i, í, o, õ, ó, u.
Coloque sua mão na laringe e pronuncie sucessivamente estas vogais:
aaaaaa-eeeeee-oooooo-uuuuuu
Você provavelmente observou uma vibração contínua da laringe. As vogais são fonemas sonoros e são acompanhadas da vibração da laringe.
Você também sabe o que é uma consoante. Há na realidade dois tipos de consoantes: as consoantes sonoras e as consoantes surdas. Você encontrará na próxima página a lista de consoantes sonoras da língua portuguesa.

Consoantes sonoras

b
d
g
j
l m
n
r
v
x (pronunciado ks como em anexo ou pronunciado z como em exato)
z
Consoantes surdas
p
t
c (seguido de a, o e u, como em café, coco e curral)
c (seguido de e e i; como em cerca e circo)
f
q
s
x (pronunciado ss, como em máximo ou pronunciado ch como em xícara)
ch
A diferença entre as consoantes sonoras e as surdas é a seguinte: as cordas vocais param de vibrar quando uma consoante surda é pronunciada. Enquanto elas continuam a vibrar quando uma consoante sonora é pronunciada.

Coloque seus dedos sobre a laringe e emita o seguinte som:

aaaaabaaaaaa
Você provavelmente percebeu que sua laringe vibra todo o tempo.

Mantenha os dedos sobre a laringe e emita o seguinte som:

aaaaaapaaaaaa

Você perceberá que a laringe pára brevemente de vibrar quando você pronuncia a letra “p”.
Você pode experimentar com todas as combinações de vogais e de consoantes sonoras ou surdas e veja que a laringe pára de vibrar quando uma consoante surda é emitida enquanto elas vibram sem interrupção quando uma consoante sonora é pronunciada.

A cada consoante surda corresponde uma consoante sonora. A consoante sonora correspondente é pronunciada com os mesmos movimentos articulatórios que a consoante surda: por exemplo “p” e “b” são pronunciadas da mesma maneira; a diferença é que as cordas vocais vibram quando o “b” é pronunciado, enquanto elas não vibram no caso da letra “p”.
Você verá abaixo a correspondência entre as consoantes surdas e sonoras.

Consoantes surdas Consoantes sonoras

c (café)/q g (gato)
c (cela)/s/x(máximo) z/x (exato)
ch/x(xícara) j
f v
p b
t d
NB: h não há consoante sonora equivalente

Exercício de sonorização

Agora que já explicamos a diferença entre vogais, consoantes sonoras e consoantes surdas, você fará alguns exercícios de sonorização.

Relaxe primeiramente seu ânus, depois feche os olhos e respire pelo abdômen várias vezes.
Agora que seu mecanismo Valsalva está perfeitamente relaxado, inspire e em seguida expire suavemente e pouco depois emita o som aaaaaaaaaa. É importante que você comece a expirar um ou dois segundos antes de pronunciar o som aaaaaaaa; isto fará com que evite de começar a emitir o som de maneira explosiva.
Emita o som aaaaaaaaa sem forçar. Deixe o ar sair espontaneamente de seus pulmões, sinta a vibração de suas cordas vocais se estender por todo seu corpo, sinta o relaxamento de seu mecanismo Valsalva. As cordas vocais não podem vibrar se o mecanismo Valsalva não estiver relaxado; inversamente a vibração das cordas vocais há um efeito relaxante sobre o mecanismo Valsalva. Pense a essas equações expirando.

Mecanismo Valsalva relaxado = vibração da laringe = boa elocução

Mecanismo Valsalva tenso = laringe fechada = gagueira

Agora você compreende a importância destes exercícios de sonorização: boa elocução, sonorização e mecanismo Valsalva tenso, trabalham juntos.
Concentrando-se na sonorização, você obterá um relaxamento mais profundo do mecanismo Valsalva e aumentará a probabilidade de ter uma boa elocução.
Inspire mais uma vez e comece a expirar suavemente. Em seguida, emita o seguinte som:

aaaaaabaaaaaabaaaaaabaaaaaabaaaaaa

Refaça o exercício com outras consoantes sonoras: d, g, j, l, m, n, r, v, z, x
(pronunciado ks ou z).

Referências
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992
SCHWARTZ, Dr Martin F., Stutter no more, www.stuttering.com, 1991

Exercício 8
Reserva de ar e início cauteloso

Muitos gagos utilizam naturalmente a técnica “da reserva de ar e início cauteloso” para controlar a gagueira. O Dr. Martin F. Schwartz dá uma descrição detalhada no sítio do National Center for Stuttering (www.stuttering.com). Este capítulo o dá somente os conhecimentos necessários para utilizar esta técnica com sucesso. Se você lê em inglês e deseja explicações mais precisas, você deve visitar o sítio www.stuttering.com.

Expire brevemente antes de falar

No exercício 3 (respiração abdominal) você aprendeu a respirar com o abdômen.
Isto ajuda a relaxar o mecanismo Valsalva que favorece a boa elocução. Seu mecanismo Valsalva atinge o relaxamento máximo durante a fase de expiração.
Quando você expira, a laringe e as cordas vocais estão complemente relaxadas. Em um tal estado de relaxamento que é quase impossível gaguejar.
Uma maneira eficaz de evitar a gagueira consiste em expirar brevemente antes de começar a falar. Expirando você relaxa sua laringe e seu mecanismo Valsalva:
este estado de relaxamento será mantido enquanto você fala. Se você fizer isto corretamente, pode estar certo a quase 100% de que você não gaguejará.

As etapas abaixo devem ser seguidas escrupulosamente:

1. Inspire com o abdômen.
2. Não prenda a respiração, abra a boca e comece a expirar imediatamente após de ter terminado de inspirar.
3. Expire brevemente sem forçar. Deixe o ar escapar livremente de seus pulmões. Preste muita atenção de não forçar a expiração porque isto poderia iniciar uma manobra Valsalva. Expire calmamente. Um erro comum é posicionar os lábios e a língua para a primeira sílaba da frase. Você deve expirar como se você não estivesse a ponto de falar. A astúcia é enganar o mecanismo Valsalva fazendo-o acreditar que você está simplesmente respirando e que você não falará.
4. Comece a falar cautelosamente. A reserva de ar não deve ser interrompida quando você começa a falar. Você deve, digamos, fundir a fase de expiração na primeira sílaba. A primeira sílaba tem que ser dita suavemente e não muito alto. Em seguida você pode progressivamente aumentar o tom da voz se você precisar falar alto. Também é importante dizer a primeira palavra lentamente. A melhor maneira de fazê-lo é prolongar a primeira sílaba.
5. Assegure-se de que você não fala muito rápido. Se você fala rápido demais, você se estressará e isto poderá iniciar a gagueira. Se você falar rápido demais, prolongue ligeiramente as sílabas. Isto retardará sua elocução. De outra maneira, prolongando as sílabas, você dará mais importância às vogais e sua laringe vibrará muito mais. Como já explicamos, isto há um efeito relaxante sobre o mecanismo Valsalva.

Treinamento

Esta técnica é relativamente simples, mas exige um pouco de treinamento. Não deveria levar muito tempo até que você domine esta técnica, tranqüilamente e em casa. Mas pode ser que não seja tão fácil quando você tiver que falar num ambiente estressante. Antes de se tornar especialista na técnica da “reserva de ar e do início cauteloso”, você deve fazer alguns exercícios complementares.

Reserva de ar

Primeiramente relaxe seu ânus utilizando o método de relaxamento progressivo de
Jacobson. Em seguida, respire várias vezes de maneira abdominal. Guarde
permanentemente a boca aberta. Quando você terminar de inspirar, não retenha sua
respiração. Expire imediatamente. Assegure-se de que você não força a saída de ar.
Deixe o ar sair livremente de seus pulmões.
Enquanto você expira, ouça o som quase inaudível do ar saindo suavemente e
sem esforço de seus pulmões. Não esqueça de manter a boca aberta.
Faça isto várias vezes e observe a sensação do ar saindo sem esforço dos
pulmões.
Inicie cautelosamente
Inspire, depois expire suavemente durante alguns segundos e emita o som
aaaaaaaaaaaa, inície devagar. Faça isto várias vezes. Certifique-se de não forçar a
saída do ar antes de emitir o som aaaaaaaaaaaaa.
Assegure-se de não reter sua respiração antes de começar a expirar e de não
parar antes de começar o som aaaaaaaaaaaaa. Comece este som em voz baixa e
aumente progressivamente o volume. O som que você emitirá deverá parecer a isto:
...aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
(Os pontos ... representam o ar que você expira antes de emitir o som aaaaaaaaa)
Repita este exercício até que você domine perfeitamente a técnica. Algumas
pessoas conseguem rapidamente e outras precisam de alguns dias. Faça ao seu ritmo
e certifique-se de aplicar corretamente todas as regras a respeito da “reserva de ar e
inicio cauteloso”.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-65-
Reserva de ar e início cauteloso diante de palavras isoladas
Uma vez dominada a técnica do reserva do ar e do inicio cauteloso antes do som
aaaaaaaaaaa, você praticará a técnica com palavras isoladas. Pegue um texto escrito
e escolha palavras ao azar.
Treine o tempo que precisar até que se torne um especialista.
Reserva de ar e inicio cauteloso diante de pequenas frases
Quando você dominar perfeitamente a técnica com uma palavra isolada, pratique
com pequenas frases.
Leia uma frase de cada vez. Siga escrupulosamente a técnica. Não se precipite, a
qualidade é mais importante que a quantidade.
Eu recomendo praticar esta técnica durante duas sessões de meia hora por dia,
durante alguns dias até que isto se torne natural.
Em seguida, aumente o tamanho das frases.
Continue a praticar durante o dia
Sempre que você tiver tempo livre durante o dia, verifique que você respira com o
abdômen e treine a expirar sem esforço. Se você encontrar um lugar tranqüilo, você
poderá praticar a técnica da reserva de ar e do início cauteloso em voz alta em
pequenas frases.
Referências
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992
RENTSCHLER, Gary J., http://www-home.cr.duq.edu/~rentschler/index.html, Duquesne
University, 2002
SCHWARTZ, Dr Martin F., Stutter no more, www.stuttering.com, 1991
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-66-
Exercício 9
Elocução sonorizada
No quinto exercício (sonorize!), você aprendeu as bases da sonorização e sua
importância no controle da gagueira. Vamos fazer um exercício que certamente
você achará complicado no início: você lerá em voz alta um texto, um livro ou um
jornal, por exemplo, e você substituirá cada consoante surda pela sonora
correspondente. Como explicado anteriormente, a letra h não há equivalente sonora,
desta maneira, esta será simplesmente omitida.
Suponhamos que você tenha decidido utilizar esta estrofe da canção construção
de Chico Buarque:
Construção – Chico Buarque
Amou daquela vez como se fosse a última
Beijou sua mulher como se fosse a última
E cada filho seu como se fosse o único
E atravessou a rua com seu passo tímido
Subiu a construção como se fosse máquina
Ergueu no patamar quatro paredes sólidas
Tijolo com tijolo num desenho mágico
Seus olhos embotados de cimento e lágrima
Sentou para descansar como se fosse sábado
Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe
Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-67-
Dançou e gargalhou como se ouvisse música
E tropeçou no céu como se fosse um bêbado
E flutuou no ar como se fosse um pássaro
E se acabou no chão feito um pacote flácido
Agonizou no meio do passeio público
Morreu na contramão atrapalhando o tráfego
Veja como você deverá ler substituindo cada consoante surda por sua
correspondente sonora.
Amou daguela vez gomo ze voze a úldima
Beijou zua mulher gomo ze voze a úldima
E gada vilho zeu gomo ze voze o únigo
E adravezou a rua gom zeu bazo dímido
Zubiu a gonsdruzão gomo ze voze máguina
Ergueu no badamar guadro baredes zólidas
Dijolo gom dijolo num desenho mágigo
Zeus olhos embodados de zimendo e lágrima
Zendou bra desganzar gomo ze voze zábado
Gomeu veijão gom arroz gomo ze voze um brínzibe
Bebeu e zoluzou gomo ze voze um náuvrago
Danzou e gargalhou gomo ze ouvize músiga
E drobezou no zéu gomo ze voze um bêbado
E vluduou no ar gomo ze voze um bázaro
E ze agabou no jão veido um bagode vlázido
Agonizou no meio do bazeio búbligo
Morreu na gondramão adrabalhando o drávego
Se você pudesse falar sempre desta maneira, não gaguejaria nunca. Infelizmente,
isto não soa correto e estou convencido que ninguém compreenderia o que você diz
se você falasse assim. Entretanto, se você praticar a elocução sonorizada
regularmente, você tenderia a sonorizar levemente em permanência mesmo quando
pronuncia consoantes surdas. Esta sonorização constante não será audível, mas
suficiente para melhorar significativamente sua elocução.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-68-
A fim de enfatizar ainda mais a sonorização, você pode emitir um som
aaaaaaaaaa antes de começar cada frase ou parte de frase. Alongar a primeira sílaba
ajudará também a acentuara sonorização. O texto de Chico Buarque seria assim:
aaaaaaaaa Aaamou daguela vez gomo ze voze a úldima
aaaaaaaaa Beeeijou zua mulher gomo ze voze a úldima
aaaaaaaaa Eee gada vilho zeu gomo ze voze o únigo
aaaaaaaaa Eee adravezou a rua gom zeu bazo dímido
aaaaaaaaa Zuuubiu a gonsdruzão gomo ze voze máguina
aaaaaaaa Eeeergueu no badamar guadro baredes zólidas
aaaaaaaa Diiijolo gom dijolo num desenho mágigo
aaaaaaaa Zeeeus olhos embodados de zimendo e lágrima
aaaaaaaa Zeeendou bra desganzar gomo ze voze zábado
aaaaaaaa Gooomeu veijão gom arroz gomo ze voze um brínzibe
aaaaaaa Beeebeu e zoluzou gomo ze voze um náuvrago
aaaaaaa Daaanzou e gargalhou gomo ze ouvize músiga
aaaaaaa Eee drobezou no zéu gomo ze voze um bêbado
aaaaaaa Eee vluduou no ar gomo ze voze um bázaro
aaaaaaa Eee ze agabou no jão veido um bagode vlázido
aaaaaaa Aaagonizou no meio do bazeio búbligo
aaaaaaaa Mooorreu na gondramão adrabalhando o drávego
Continue praticando a elocução sonorizada até dominá-la. Assegure-se de que seu
mecanismo Valsalva fique relaxado enquanto você estiver falando.
No princípio, no momento de praticar a elocução sonorizada talvez você se
sentirá contraído porque tem que se concentrar na substituição de cada consoante
surda pela sonora correspondente. Por esta razão, você terá dificuldades a relaxar
seu mecanismo Valsalva enquanto estiver falando. Entretanto, com o tempo você
será capaz de falar desta maneira estranha com facilidade.
Não se preocupe se você esquecer que substituir uma consoante surda pela
sonora correspondente. Continue a se exercitar e você verá que essas omissões serão
cada vez mais raras.
Se depois de ter praticado intensivamente, a elocução sonorizada continua a
deixá-lo nervoso, não se preocupe. Deixe pra lá a este exercício e leia o texto
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-69-
normalmente concentrando-se na sonorização e no relaxamento do mecanismo
Valsalva enquanto fala. Enfatize as vogais e atenue as consoantes.
Prolongue a primeira sílaba das palavras temidas
Como explicado anteriormente, a elocução sonorizada tem um efeito relaxante sobre
o mecanismo Valsalva. O prolongamento da primeira sílaba das palavras temidas o
permitirá acentuar a elocução sonorizada e isto o ajudará a impedir um bloqueio de
nestas palavras. Se uma palavra parece difícil a pronunciar, você pode prolongar
cada sílaba dela.
Desta maneira, você não pode evitar totalmente a gagueira, mas pelo menos
deveria conseguir gaguejar de maneira mais fácil. De fato, esta técnica é
freqüentemente chamada ”gagueira fácil”. Sua gagueira será menos estressante.
Evidentemente seu interlocutor perceberá que você tem dificuldades, mas, você será
capaz de exprimir a palavra com menos tensão e luta. O fato de alongar as sílabas
talvez dará a sua dicção um ar especial, mas seus interlocutores e você mesmo
provavelmente acharão isso menos penoso que a gagueira.
Colocando esta técnica em prática, você ganhará confiança em sua capacidade a
exprimir as palavras. Você se sentirá mais tranqüilo, e precisará cada vez menos
alongar as sílabas.
Referência
FRASER Malcom, Self-therapy for the stutter, Stuttering Foundation, 1978
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-70-
Exercício 10
A técnica de Demóstenes
Você já deve ter ouvido falar de Demóstenes o orador grego que conseguiu eliminar
sua gagueira falando em voz alta na praia dominando o barulho das ondas. Você
utilizará esta técnica antiga desenvolvida por Demóstenes há mais dois mil e
trezentos anos acrescentando a técnica da “reserva de ar e início cauteloso” e
igualmente a técnica do relaxamento progressivo de Jacobson e a respiração
abdominal.
Tudo acontece na cabeça
Quase tudo o que você faz é controlado pelo cérebro. O mesmo acontece com a
gagueira. Se você observa o iceberg da gagueira, você verá que as emoções,
sensações, sentimentos, resistência às mudanças e comportamentos, tais quais
ficar recuado, medo de situações inesperadas, técnicas de contorno, utilização de
palavras tapa-buraco, estão no cérebro. Os músculos do mecanismo Valsalva são
controlados pelo cérebro. Os músculos da laringe, da língua e dos lábios que são
utilizados para uma boa elocução, são igualmente controlados pelo cérebro.
Quando a elocução é boa isto significa que o cérebro envia os bons sinais para
relaxar os músculos do mecanismo Valsalva e relaxar de maneira adequada os
músculos da laringe, da língua e dos lábios. Quando você gagueja isto quer dizer
que seu cérebro envia sinais ruins. Seu cérebro pede aos músculos do mecanismo
Valsalva de se contrair.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-71-
Os sinais que seu cérebro envia aos músculos passam através de seu cérebro e
seu sistema nervoso. O objetivo deste exercício é de reforçar os caminhos utilizados
pelos sinais que permitem falar com uma boa elocução. Os caminhos se tornarão
auto-estradas e em contraposição os caminhos utilizados pelos sinais ruins (os que
ativam o mecanismo Valsalva) parecerão caminhos de terra. Assim seu cérebro será
muito mais suscetível de enviar os bons sinais.
Se você quiser ganhar os jogos olímpicos você tem que treinar com força e
determinação. Da mesma maneira, você terá que treinar seu mecanismo da
linguagem com força se você quiser ter uma boa elocução. A utilização da força é
necessária para programar seu cérebro e reforça as conexões nervosas utilizadas
quando você fala com uma boa elocução.
Neste exercício, nós o pediremos de emitir sons e palavras em voz alta. Você
terá que falar o mais forte possível. Quanto mais forte melhor.
Se você precisar de explicações aprofundadas sobre o funcionamento da técnica
de Demóstenes, você poderá consultar os livros e sítios dados no fim deste capítulo.
Estes livros dão informações detalhadas assim que tratamentos baseados sobre o
princípio de Demóstenes.
Preliminar necessária
Antes que você comece este exercício, eu imagino que você consegue falar com
uma boa elocução após ter feito o oitavo exercício (Reserva de ar e início
cauteloso). É perfeitamente normal que você ainda gagueje no trabalho, na rua ou
mesmo falando com os membros de sua família. Mas você deveria ser capaz de falar
com uma boa elocução quando você está só em casa e que você pratica o exercício
“reserva de ar e inicio cauteloso”. O objetivo deste exercício evidentemente não é
gaguejar com força! Isto deve ser evitado de todas as maneiras, porque isto
reforçaria a tendência do cérebro a ativar o mecanismo Valsalva quando você
estiver falando.
Se você tiver problema para obter uma boa elocução fazendo o exercício
“reserva de ar e início cauteloso”, eu o recomendo consultar um ortofonista. Ele
deverá ser capaz de ensiná-lo a obter uma boa elocução quando você estiver no
ambiente relaxante de seu consultório, ou só em casa.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-72-
Aviso
Neste exercício, você deve emitir sons e palavras bastante alto. Mas não exagere
para não cansar suas cordas vocais. Se você estiver resfriado ou com dor de
garganta, deixe estes exercícios para mais tarde. Durante este tempo, você pode
fazer o segundo grupo de exercícios (mudança do comportamento) e voltar a este
quando se sentir melhor.
Estes exercícios são cansativos. Em alguns momentos você poderá se sentir
atordoado, e as vibrações produzidas ao gritar podem ser desagradáveis. Se você se
sentir cansado, pare alguns minutos e respire com o abdômen antes de recomeçar os
exercícios.
Enquanto estiver fazendo os exercícios, você deve se sentir como um atleta que
se prepara para os jogos olímpicos. O treinamento para os jogos olímpicos é duro;
um atleta tem que treinar com tenacidade durante algumas horas por dia. Ele
transpira e sente dor nos músculos. E certamente preferiria ir para casa, tomar um
bom banho e assistir à televisão, mas ele continua a treinar por horas e horas com
uma só idéia na cabeça: a medalha de ouro.
Exercício
Este exercício é longo e o ocupará por pelo menos duas semanas. Cada dia você se
concentrará sobre um aspecto específico da técnica:
1° dia: Vogais
2° dia: Consoantes estiradas
3° dia: Consoantes estiradas e vogais
4° dia: Consoantes não-estiradas
5° dia: Consoantes não-estiradas e vogais
6° dia: Palavras de uma sílaba iniciadas por uma vogal
7° dia: Palavras de uma sílaba iniciadas por uma consoante estirada
8° dia: Estirar ao mesmo tempo a consoante e a vogal
9° dia: Palavras de uma sílaba iniciadas por uma consoante não-estirada
10° dia: Palavras de duas ou mais sílabas iniciadas por uma vogal
11° dia: Palavras de duas ou mais sílabas iniciadas por uma consoante estirada
12° dia: Palavras de duas ou mais sílabas iniciadas por uma consoante nãoestirada
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-73-
13° dia: Palavras escolhidas ao azar
14° dia: palavras temidas
Cada sessão cotidiana tem que ser feita duas vezes por dia: uma hora pela manhã
e uma à noite.
Isto pode parecer muito exigente, mas você terá que fazê-lo somente por duas
semanas. Em seguida, pediremos de efetuar sessões mais curtas, meia-hora pela
manhã outra à noite.
Você terá que encontrar um lugar em sua casa onde possa se instalar
confortavelmente sem ser incomodado. Se for necessário você deve explicar a sua
família a importância para você de não ser incomodado por pelo menos uma hora. E
também, estes exercícios são barulhentos e você deverá explicar a sua família o que
você está fazendo e por quê. Talvez você pense que o carro é o melhor lugar para
fazer este exercício: você se instalará confortavelmente e não incomodará ninguém.
1° dia: Vogais
Como sempre, você começará utilizando o método de relaxamento progressivo de
Jacobson. Após você fechará os olhos e respirará com o abdômen por dois ou três
minutos.
Em seguida, você produzirá o som aaaaaaaaaaaa, iniciando cautelosamente e em
voz baixa.
….aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Faça isto 5 vezes. Não esqueça de respirar com o abdômen e expirar brevemente
antes de começar a emitir o som aaaaaaaaaaaaaaa. Os pontos …. representam o ar
que você expira antes de produzir este som.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-74-
Emita o mesmo som com início cauteloso, mas desta vez, aumentando
progressivamente o volume de sua voz:
….aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Faça-o 5 vezes e em seguida emita o som aaaaaaaaaaaaa mas desta vez sem
inicio cauteloso e bem forte:
….aaaaaaaaaa
Faça-o, também, 5 vezes.
Faça em seguida os mesmos exercícios com as outras vogais.
a
ã
e
é
i
o
õ
ó
u
Você deverá dizer cada vogal:
5 vezes com início cauteloso, em voz baixa
5 vezes com início cauteloso, aumentando a voz progressivamente
5 vezes sem início cauteloso, em voz alta
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-75-
Leve todo o tempo necessário, a qualidade é mais importante que a quantidade.
Recomece a lista várias vezes. Você deve praticar este exercício por pelo menos
uma hora.
2° dias: Consoantes estiradas
Você fará agora um exercício parecido com as consoantes.
Começaremos pela letra z. Como para as vogais, você começará fazendo um
som prolongado zzzzzzzzzzzzz, com iniciando cautelosamente e em voz baixa. Não
esqueça de expirar pouco antes de emitir este som.
….zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
Repita este som 5 vezes, e em seguida, faça o mesmo, desta vez com uma início
cauteloso e aumentando progressivamente o volume:
….zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
Faça 5 vezes e em seguida repita o mesmo som 5 vezes, mas em voz alta:
….zzzzzzzzzz
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-76-
Faça o mesmo exercício com as seguintes consoantes:
ch
f
j
l m
n
r
s
v
Você deverá dizer cada consoante:
- 5 vezes com início cauteloso e em voz baixa
- 5 vezes com início cauteloso e aumentando progressivamente o volume
- 5 vezes sem início cauteloso e muito alto.
Neste caso, também, a qualidade é mais importante que a quantidade e você
deve fazer no seu ritmo. Recomece a lista várias vezes até que a sessão de uma hora
tenha terminado.
3° dias: Consoantes estiradas e vogais
Vamos fazer o mesmo exercício que aquele do 2° dia, mas desta vez a consoante
prolongada será seguida pelo som aaaaaaaaaa. Vejamos ver como funciona com a
letra z:
5 vezes com início cauteloso e em voz baixa.
….zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-77-
Em seguida, 5 vezes com inicio cauteloso e com voz cada vez mais alta:
….zzzzzzzzzzzzzzzzzzzaaa
E, finalmente, 5 vezes sem início cauteloso e, em voz alta:
….zzzzzzaaaa
Faça o mesmo com as outras consoantes: ch, f, j, l, m, n, r, s, v. Retorne a esta
lista várias vezes. Se você quiser tornar este exercício mais divertido, você pode
substituir o som aaaaaa por outras vogais.
4° dias: Consoantes não-estiradas
Você provavelmente percebeu que evitamos muitas consoantes nos exercícios dos
2° e 3° dias. De fato, todas as consoantes não podem ser estiradas. Agora vamos
trabalhar com estas consoantes.
Vamos começar pela letra p. Você primeiramente emitirá o som p, 5 vezes em
voz baixa. Utilize a técnica do reserva de ar e não a do início cauteloso. O início
cauteloso não pode ser utilizado com esta consoante porque ela não pode ser
estirada. Será mais ou menos assim:
p...........
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-78-
(os pontos após a letra p representam o som do ar saindo de sua boca depois de
ter emitido o som p)
Emita o mesmo som 5 vezes em voz alta. Novamente, você deve usar a técnica
do reserva de ar, mas não a de início cauteloso:
….p……..
Faça o mesmo com as outras consoantes não-estiradas:
b
c (pronunciado k)
d
t
Você dirá cada consoante:
- 5 vezes em voz baixa
- 5 vezes em voz alta
A cada vez você deve utilizar somente a técnica do reserva de ar. Refaça várias
vezes toda a lista.
5° dias: Consoantes não-estiradas e vogais
Você fará o mesmo exercício feito no 4° dia, mas desta vez a consoante será seguida
pelo som aaaaaaaaaaaaaaaaa.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-79-
Vejamos o resultado com a letra p:
….paaaaaaaaaaaaaaaa
Diga-o 5 vezes em voz baixa. Utilize a técnica do reserva de ar, não utilize a
técnica do início cauteloso.
Agora, diga-o 5 vezes utilizando a técnica do início cauteloso sobre a vogal e
aumente progressivamente o volume:
….paaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Agora faça 5 vezes com intensidade:
….paaaaaaaaa
Em seguida, faça o mesmo com as outras consoantes não-estiradas: b, c, d, t.
6° dias: Palavras de uma sílaba iniciadas por uma vogal
Agora você praticará esta técnica em palavras. Você começará por palavras
monossilábicas iniciadas por uma vogal. Comecemos pela palavra “ar”
….aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaar
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-80-
Faça 5 vezes com início cauteloso e aumentando gradualmente o volume:
….aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaar
Em seguida 5 vezes sem início cauteloso e em voz alta.
...aaaaaaaaar
Faça o mesmo com as seguintes palavras:
ás um ir os
em ar és ui
oi ia eu ou
7° dias: Palavras de uma sílaba iniciadas por uma consoante
estirada
Agora você fará um exercício semelhante iniciando com uma consoante estirada.
Por exemplo: lá.
Eu acho que você já entendeu o que fazer. Você dirá 5 vezes com início
cauteloso e em voz baixa, 5 vezes com início cauteloso e aumentando gradualmente
o volume e 5 vezes em voz alta, mas sem início cauteloso:
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-81-
….llllllllllllllllllllllllllllllllá
….llllllllllllllllllllllllá
...llllllllllllllllá
Faça o mesmo com as seguintes palavras iniciadas pelas seguintes consoantes:
sol fim ré
sal sim já
li vá chá
ver rir xá
som ser sou
voz vez lá
só se ler
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-82-
8° dias: Estique ao mesmo tempo a consoante e a vogal
Você recomeçará a lista do 7° dia e esticará ao mesmo tempo a consoante e a vogal
que a sucede. Veja como funciona com a palavra “lá”:
….llllllllllllllllllllllllllllllllááááááááááááááá
….llllllllllllllllllllllllááááá
...lllllllllllláááá
9° dias: Palavras monossilábicas iniciadas por uma consoante nãoestirada
Você se recorda de que o início cauteloso não se aplica às consoantes que não
podem ser estiradas. Mas você pode aplicar a início cauteloso à vogal que a sucede.
Você dirá a palavra 5 vezes em voz baixa e com início cauteloso da sílaba, 5 vezes
com início cauteloso da vogal e aumento gradual do volume, e finalmente 5 vezes
muito forte sem início cauteloso.
Comecemos pela palavra “pé”:
...péééééééééééééééééééééé
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-83-
...péééééééééééééééééééééééééé
...pééééééééé
Faça o mesmo com as seguintes palavras:
Bom pó pá
Dó ta dom
Tu cá dá
Dar dor cor
Pôr bem tom
10° dias: Palavras de duas ou mais sílabas iniciadas por vogais
Vamos começar pela palavra “avó”. Você alongará as duas vogais. Como feito
anteriormente, primeiramente você dirá a palavra 5 vezes com início cauteloso em
voz baixa, após 5 vezes com início cauteloso e aumentando gradualmente o volume
e finalmente 5 vezes sem início cauteloso e em voz alta.
….aaaaaaaaaaavóóóóóóóóó
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-84-
….aaaaaaaaaaaaaaaaavóóóó
...aaaaavóóóóó
Faça o mesmo exercício com as seguintes palavras:
asa amo ilha
onda uva urubu
idade era arara
aras ira hora
oca ida ode
aba ovo ama
11° dias: Palavras de duas ou mais sílabas iniciadas por uma
consoante estirada
Neste exercício, você não alongará somente as vogais, mas também a primeira
consoante. Você dirá 5 vezes cada palavra com início cauteloso e em voz baixa, 5
vezes com início cauteloso e aumentando progressivamente o volume, 5 vezes sem
início cauteloso em voz alta.
Vamos começar pela palavra “zebu”
...zzzzzzzzzzeeeeeeebuuuuuu
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-85-
...zzzzzzzzzzzzzzzzzeeeebuu
...zzzeeebuuuu
Faça o mesmo com as seguintes palavras:
macaco zero seta
chita seda reta
jogo nada medo
foto chalé xícara
sapo sopa chefe
xale soco rato
ramo mimo faca
figo foca fama
nave neve nuca
12° dias: Palavras de duas ou mais sílabas iniciadas por uma
consoante não-estirada
A primeira consoante não pode ser estirada, conseqüentemente, você alongará
somente as vogais. Começaremos pela palavra “pote” e você a dirá 5 vezes com
uma início cauteloso da primeira vogal em voz baixa, 5 vezes com início cauteloso
da primeira vogal e aumentando progressivamente o volume e finalmente 5 vezes
sem início cauteloso e em voz alta.
...pooooooooooteeeeeeeee
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-86-
...pooooooooooooooooteeeee
...poooteeeee
Continue o exercício com as seguintes palavras:
bola direto guerra
calo copo camelo
boca goma dica
galo gato cola
cama colo gama
coma bico cupido
13°: Palavras escolhidas ao azar
Agora, pegue um texto qualquer, este livro ou um jornal, por exemplo, e escolha
palavras ao azar.
Em seguida, você pronunciará estas palavras alongando as vogais. Se a primeira
letra é uma consoante que pode ser estirada, você a alongará também.
Você dirá cada palavra 5 vezes com início cauteloso e em voz baixa, 5 vezes
com início cauteloso aumentando gradualmente o volume e, em seguida, 5 vezes
sem início cauteloso e em voz alta.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-87-
14° dias: Palavras temidas
Você fará uma lista de palavras sobre as quais você tropeça freqüentemente. A lista
incluirá muito provavelmente seu nome, porque os gagos têm freqüentemente
dificuldades com o próprio nome.
Se você não consegue se lembrar de nenhuma palavra temida, então deixe este
exercício para um outro dia. Enquanto isso, tenha sempre uma folha de papel e um
lápis ao seu lado para anotar cada palavra na qual você gagueja ou teme gaguejar.
Leia estas palavras como você fez no “13° dias”, mas desta vez, você as lerá 10
vezes no lugar de 5. Se você tiver excessiva dificuldade em pronunciar uma palavra
em particular, alongue cada uma das consoantes que são possíveis serem estiradas
mesmo as que se encontram ao interior ou no fim da palavra.
Referências
HARKNESS, Richard, Neuropatterning for Stutterers: A Home Course in Programming
Your Brain for Fluent Speech, 1997,
http://members.aol.com/rharkn/index.htm
KEHOE, Thomas David, Speech Motor Repatterning for Stutterers, Casa Futura
Technologies, http://www.casafuturatech.com/
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002, http://www.casafuturatech.com/
STRYDOM, Jan, Stuttering: Helping Your Youngster Overcome it,
http://www.audiblox2000.com/more06.htm
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-88-
Exercício 11
Exercícios cotidianos
Os exercícios precedentes o ensinaram a:
- Relaxar seu ânus;
- Respirar com o abdômen;
- Utilizar a técnica do reserva de ar e do início cauteloso;
- Sonorizar;
- Falar de uma maneira estranha que vamos chamar elocução sonorizada;
- Utilizar a força para privilegiar os caminhos nervosos que favorecem a boa
elocução.
O relaxamento, a respiração abdominal, a reserva de ar, o início cauteloso, a
sonorização são elementos chaves no controle do mecanismo Valsalva e da
gagueira. Vamos combinar estes quatro exercícios em um exercício cotidiano. As
técnicas desenvolvidas no exercício 10 (A técnica de Demóstenes) também serão
incluídas aos exercícios cotidianos.
Exercícios da manhã e da noite
Você verá abaixo dois exercícios cotidianos:
1. um exercício a fazer pela manhã antes de sair de casa
2. um exercício para fazer à noite antes de jantar ou de deitar
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-89-
O exercício da manhã insiste muito mais sobre o relaxamento do mecanismo
Valsalva, a sonorização, a reserva de ar e o início cauteloso. O exercício da manhã
terá evidentemente efeitos benéficos a longo termo, mas ele tem um objetivo
principal imediato. Ele prepara seu mecanismo da fala para falar com uma boa
elocução o dia todo.
O exercício da noite focaliza “a utilização da força”. Seu objetivo principal é de
reforçar os caminhos nervosos que favorecem a boa elocução. Ele tem por objetivo
melhorar sua elocução a longo termo.
Evidentemente, se você trabalha à noite, você pode encontrar mais eficácia
fazendo o exercício da manhã à noite antes de sair para o trabalho e o da noite pela
manhã quando chegar em casa.
Da mesma maneira, se seu vizinho o convida por um churrasco às 20 horas,
você fará um exercício parecido ao da manhã às 18 horas. Isto preparará seu
mecanismo da fala para falar normalmente com o vizinho e os outros convidados
durante a noite.
Exercício da manhã
1. Relaxamento geral (1 minuto)
Estique suas pernas e braços, faça algumas caretas para relaxar os músculos do
rosto, gire a cabeça, abra a boca e movimente as mandíbulas.
Se você tiver vontade de bocejar, aproveite. É provavelmente a maneira mais
natural e eficaz de relaxar seu corpo. Eu tinha uma cadelinha da raça teckel que
bocejava quando estava ansiosa: ela tinha encontrado, provavelmente, por instinto
esta maneira de eliminar o estresse.
2. Relaxamento do músculo anal (1 minuto)
Relaxe seu ânus utilizando o relaxamento progressivo de Jacobson. Cerre
progressivamente seu músculo anal e relaxe gradualmente a pressão. Faça isto 5 ou
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-90-
6 vezes. Não esqueça de prestar atenção ao relaxamento que se estende a todos os
outros músculos do mecanismo Valsalva.
3. Respiração abdominal (1 minuto)
Feche os olhos e respire com o abdômen 5 ou 6 vezes. Respire com a boca aberta.
Assegure-se de que você mantém sua laringe aberta enquanto respira. Preste atenção
ao relaxamento que se estende a todo o sistema do mecanismo Valsalva: abdômen,
tórax, laringe, língua, mandíbulas, lábios. Sinta o ar que passa livremente através da
laringe. Lembre-se de que você não deve forçar para expirar. Você deve deixar o ar
sair suavemente e sem esforço de seus pulmões.
4. Técnica de Demóstenes (8 minutos)
Pegue um texto escrito e escolha algumas palavras ao azar. Se você tiver uma lista
de palavras temidas, utilize-a. Você deve ler cada palavra 5 vezes com início
cauteloso e em voz baixa, 5 vezes com início cauteloso e aumentando gradualmente
o volume, e 5 vezes sem início cauteloso e em voz alta.
Não esqueça de respirar com o abdômen e de expirar passivamente antes de
começar a dizer as palavras. Alongue cada vogal. Se a primeira consoante pode ser
estirada, estire-a também.
5. Relaxamento do músculo anal (1 minuto)
Como no segundo exercício.
6. Respiração abdominal (1 minuto)
Como no terceiro exercício.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-91-
7. Sonorização (3 minutos)
Inspire, em seguida expire suavemente durante um segundo ou dois e emita o som
aaaaaaaaa com início cauteloso. Assegure-se de que você não força a expiração,
você deve deixar o ar sair sem esforço; coloque os dedos na garganta e sinta a
vibração de sua laringe. Sinta a vibração que se estende através de seu mecanismo
Valsalva. Lembre-se da equação:
Mecanismo Valsalva relaxado = sonorização = boa elocução
Inspire uma vez mais e emita um som aaaaaabaaaaaabaaaaaa. Faça o mesmo
exercício com as outras consoantes sonoras: d, g, j, l, m, n, r, v, x, z.
8. Elocução sonorizada (7 minutos)
Agora, pegue um texto escrito e leia em voz alta substituindo cada consoante surda
pela correspondente sonora. Não esqueça de enfatizar a sonorização iniciando cada
frase ou parte de frase pelo som aaaaaa e alongando a primeira sílaba.
Certifique-se de que seu ânus esteja bem relaxado e aberto, respire com o
abdômen e evite forçar no momento da expiração. Não esqueça de deixar um pouco
de ar sair passivamente antes de emitir o som aaaaaaaaaaaaa.
Nota importante: Quando você praticar pela primeira vez a elocução sonorizada, é
normal que se sinta nervoso. Após uma prática intensiva, você deverá se sentir à
vontade e relaxado.
Entretanto se a elocução sonorizada continuar a deixá-lo nervoso após uma
prática intensiva, deixe pra lá. Eu recomendo deixar a elocução sonorizada e
compensar isto passando mais tempo na etapa 9 (elocução natural).
9. Elocução natural (7 minutos)
Agora você reduzirá progressivamente a sonorização das consoantes surdas até falar
de maneira natural. Assegure-se de que você continua enfatizando a sonorização. A
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-92-
melhor maneira de fazê-lo é iniciar cada frase ou parte de frase com um som
aaaaaaaaaaa e alongar a primeira sílaba. Não enfatize demais as consoantes surdas e
alongue levemente as vogais. Tente manter uma vibração apenas audível.
Coloque o dedo sobre a laringe. Se você sentir que a laringe vibra
continuamente mesmo quando você pronuncia a consoante surda, isto quer dizer que
você sonoriza corretamente. Se você puder falar desta maneira todo o dia, você não
gaguejará.
Se você sentir que a laringe para de vibrar quando você emite uma consoante
surda, você deve colocar mais ênfase nestas consoantes e ainda mais sobre as
vogais.
Lendo em voz alta, certifique-se de que seu ânus esteja aberto e relaxado,
verifique se você respira pelo abdômen e que expira sem esforço. Não esqueça de
expirar brevemente antes de falar.
Exercício da noite
Você encontrará abaixo a duração do exercício da noite. Retorne ao exercício da
manhã para os detalhes das diferentes etapas.
1- Relaxamento geral (1 minuto)
2- Relaxamento do músculo anal (1 minuto)
3- Respiração abdominal (1 minuto)
4- Utilização da força (27 minutos)
Continue a praticar durante o dia
Você deve continuar a praticar durante o dia a cada vez que tiver a possibilidade ou
que sentir a necessidade.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-93-
É particularmente importante de relaxar seu ânus e respirar pelo abdômen cada
vez que você antecipar uma situação difícil. Você poderá praticar quando e onde
puder o relaxamento anal e a respiração abdominal.
Verifique regularmente que seu ânus e sua laringe estejam dilatados e relaxados.
Assegure-se de que você respira com o abdômen. Concentre-se todo o tempo na
sonorização.
Enquanto você estiver falando, certifique-se de não forçar a expiração. Deixe o
ar escapar dos pulmões suavemente e sem esforço.
Escreva as palavras temidas
Durante o dia tenha perto de você uma folha de papel para anotar as palavras nas
quais você tropeça ou antecipa um bloqueio. Você trabalhará com estas palavras
durante os exercícios da manhã e da noite.
Assimilação passiva
Eu o aconselho de praticar estes exercícios todos os dias. E também, a interromper
durante este tempo os exercícios cotidianos e retomar em uma ou duas semanas.
Talvez você perceberá então que sua elocução melhorou durante este tempo de
repouso. Seu cérebro terá passivamente assimilado a técnica.
A assimilação passiva não é algo próprio à aprendizagem da boa elocução. Eu
percebi o efeito da assimilação passiva quando estava aprendendo a dirigir. Eu
comecei com seis lições, depois parei por alguns meses. Então eu me dei conta de
que dirigia muito melhor que no momento da minha última lição. Eu tinha
aprendido a dirigir passivamente.
A assimilação passiva se manifesta da mesma maneira por não importa que nova
atividade: tênis, natação etc…
Não sei a que momento nem por quanto tempo você deve parar. Cada indivíduo
é único e isto só você poderá determinar. Se você perceber que sua elocução não
teve melhora isto pode indicar que seu cérebro está saturado e precisando de
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-94-
repouso. Pare de fazer os exercícios cotidianos por algum tempo e veja o que
acontece.
O que esperar?
Como já dissemos, você não conseguirá eliminar a gagueira de um dia pro outro,
você provavelmente precisará de várias semanas ou até meses antes de obter uma
melhora perceptível.
Em meu caso os primeiros resultados vieram de situações de tomada da palavra
que eu sentia como sendo difíceis. São situações nas quais eu gaguejava quase 99%
do tempo. Por exemplo, quando eu me sentava no escritório de meu superior
hierárquico. Após alguns dias de prática, eu percebi que nestas situações eu
gaguejava somente 80% do tempo.
Eu entendi neste momento que finalmente tinha aprendido a controlar minha
gagueira. Eu soube que meu combate contra a gagueira já não era sem esperança. Eu
sabia que a gagueira contra-atacaria, foi o que ela fez. Minha gagueira piorava e em
seguida melhorava novamente. Com o tempo, ela perdia terreno. A boa elocução se
impunha semana após semana; eu percebia que gaguejava cada vez menos quando
falava com meu chefe. Até que eu poder finalmente falar com ele normalmente e em
total confiança.
Controlar a gagueira para falar com meu chefe foi relativamente fácil porque eu
tinha tempo de relaxar meu ânus e respirar com o abdômen antes de bater à porta.
De maneira geral, é muito mais fácil controlar a gagueira em situações difíceis que
podemos prever com muita antecedência. Neste caso você tem alguns minutos para
se concentrar no relaxamento do mecanismo Valsalva.
Controlar a gagueira é muito mais delicado em situações inesperadas.
Suponhamos por exemplo que você ouça passivamente colegas que conversam entre
eles. De repente um deles pergunta sua opinião. Você está surpreso; e não tem
nenhuma opinião a dar e não sabe o que dizer. Eles estão esperando seu ponto de
vista e evidentemente você não tem muito tempo para relaxar seu ânus. Em tal
situação pode ser difícil controlar a gagueira. Mas aos poucos você ganha confiança
em você mesmo e acabará se virando e falando normalmente em todas as
circunstâncias.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-95-
Situações difíceis
Eu sugiro fazer uma lista das situações difíceis. Por exemplo, na lista pode constar
falar com seu chefe, comprar pão ou aspirina, marcar uma consulta no médico, pedir
uma informação a um policial, dizer seu nome, falar ao telefone etc…
Tente atacar cada uma das situações. Por exemplo, se falar ao telefone é um
problema, ligue para vários números verdes e peça informações. Faça-o até que falar
ao telefone não seja mais um problema.
Quando uma situação estiver sob controle, você poderá se sentir satisfeito.
Certamente, você não ganhou a guerra, mas a primeira batalha. Agora, você tem
confiança suficiente para ganhar as outras batalhas até obter uma quase perfeita
elocução em todas as circunstâncias.
Referências
HARKNESS, Richard, Neuropatterning for Stutterers: A Home Course in Programming
Your Brain for Fluent Speech, 1997
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992
STRYDOM, Jan, Stuttering: Helping Your Youngster Overcome it,
http://www.audiblox2000.com/more06.htm
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-96-
Chegamos ao fim de nossa primeira série de exercícios. Estes, concentram-se na
dicção e o relaxamento do mecanismo Valsalva. Durante os próximos meses você
deverá fazer os exercícios cotidianos. Isso significa que provavelmente você terá
que se levantar meia hora mais cedo pela manhã, mas vale a pena.
O controle do mecanismo Valsalva é certamente um passo importante na boa
direção. Mas não é suficiente. Agora deve, agora, concentrar-se nos
comportamentos e percepções ligados à gagueira. Este é o objetivo da próxima
série de exercícios.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-97-
Segunda série de
exercícios
Mude seu comportamento, suas
emoções e percepções
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-98-
Exercício 12
Ouça os outros
Ninguém fala perfeitamente
Segundo as estatísticas, os gagos representam cerca de 1% da população. Isto quer
dizer que se 1% por cento da população gagueja os 99% restantes falam
perfeitamente? Se você é gago, provavelmente pensa que é o caso. Mas a realidade
não é tão simples assim.
Preste atenção aos outros quando falam. Ouça atentamente e você se
surpreenderá ao perceber que poucas pessoas se exprimem com uma elocução
perfeita. De fato, podemos afirmar que ninguém sob a face da terra fala
perfeitamente. A maior parte das pessoas gagueja levemente a cada vez que abre a
boca; elas gaguejam tão levemente que isso passa desapercebido, mas o fato é que
elas gaguejam.
Em boa parte dos casos, talvez não seja a verdadeira gagueira, cientificamente
falando, mas um tipo de disfunção da linguagem. Uma pessoa pode ter dificuldades
para encontrar a palavra certa e dirá “euuuh” durante alguns segundos. Ou então, ela
pode começar a primeira sílaba de uma palavra, se dar conta de que não é a melhor,
parar, dizer “euhhh”, e recomeçar a frase com uma palavra mais adequada. Pouco
importa se não é realmente gagueira; é um problema de elocução como o seu, mas
menos importante.
Estas disfunções da linguagem não são percebidos porque são muito freqüentes.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-99-
O que muda para você?
Esta constatação tem uma importância capital e há várias implicações práticas:
1- Você não é um gago no meio de uma população que se exprime à perfeição.
Você vive numa população de gagos leves e você gagueja muito mais que a
média. Não tenho certeza que isso servirá de reconforto, mas você deve pelo
menos se sentir menos mal!
2- Quando um gago decide lutar contra sua gagueira, seu objetivo é falar
perfeitamente. Eu acho que agora você compreende que este objetivo é
impossível a atingir. Mesmo um “não-gago” não pode atingir este objetivo.
Conhecemos muitos atores e políticos que superaram parcialmente a gagueira, e
isso não impediu de fazerem uma brilhante carreira.
Se você se fixar como objetivo falar com uma elocução sem falha, você já
entra perdendo. Você terá a impressão de falhar a cada vez que escorregar
levemente em uma sílaba. Seu objetivo deve ser o de ser um gago leve, quer
dizer, de não gaguejar mais que a maioria das pessoas. E mesmo se você gagueja
um pouco mais que a média isso provavelmente passará desapercebido.
3- Constatar que todo mundo gagueja levemente vai mudar a percepção que
você tem da gagueira. Se você gagueja levemente, você saberá que é sem
importância porque todo mundo gagueja levemente. Se você gaguejar muito,
você sabe que não é grave porque todo mundo gagueja um pouco. Agora você
sabe que a gagueira afeta praticamente todo mundo. Você simplesmente está
mais afetado que os outros.
Não esqueça!
Seu objetivo deve ser reduzir sua gagueira a um nível aceitável e não de
erradicá-la completamente.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-100-
Referências
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002
Stuttering Foundation: Transfer and maintenance, 1982
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-101-
Exercício 13
Você não é o único
Por que eu?
Você é gago e você tem o sentimento de que isso estraga sua vida e que você é
vítima de uma injustiça. Talvez você pense: “Por que eu? Por que os outros têm
tudo para serem felizes enquanto a gagueira atrapalha minha vida?”
POR QUÊ?
É verdade que não tem graça nenhuma ser gago. Mas você tem certeza de que os
outros têm tudo para serem felizes e não têm outras razões para se queixarem? Pode
haver coisas piores que a gagueira. E você tem certeza que os outros também não
carregam um fardo invisível?
Observe as outras pessoas nas ruas
A próxima vez que você andar pela rua observe atentamente os outros pedestres. A
maior parte das pessoas não está muito satisfeita com sua aparência física, com sua
altura ou cor da sua pele. A maior parte das morenas sonham em serem louras e
vice-versa. Muitos gostariam ter o nariz mais longo ou mais curto, ser maior ou
menor, ser mais magro ou mais gordo etc…
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-102-
Enquanto você estiver andando, examine cada uma das pessoas que cruzar e
tente adivinhar por que cada uma dessas pessoas poderia não estar satisfeita com ela
mesma. Tente discernir os detalhes que poderiam degradar a opinião que elas têm
delas mesmas.
Agora, tente encontrar uma pessoa perfeita: bela, segura etc…
Eu aposto que você terá que andar alguns quilômetros antes de encontrá-la!
Quando você a encontrar, observe-a atentamente. Você tem certeza de que ela se
sente perfeita? Talvez você não tenha percebido um detalhe que esta pessoa vê
quando se olha no espelho. Ou talvez a vida desta pessoa seja atrapalhada por uma
doença invisível, ou o luto por um ente querido, ou uma grande decepção amorosa,
ou…
Eu espero que você compreenda que o objetivo deste exercício não é de ser
maldoso e de zombar de seu próximo. Você deve fazer este exercício com
generosidade. Praticamente todas as pessoas que você encontrar na rua são pessoas
simpáticas (exceto uma minoria de criminosos que a polícia ainda não conseguiu
prender). Sim, mesmo com suas imperfeições elas são seres humanos simpáticos.
A maior parte delas carregam, como você, um fardo visível ou invisível, no seu
caso é a gagueira, no caso delas é outra coisa e eu não tenho certeza de que você
gostaria de trocar de lugar. Você poderia sair perdendo.
É verdade, a vida pode ser difícil, mas todas essas pessoas que você encontra na
rua fazem o que podem para melhorar suas vidas.
Ninguém é perfeito, e você não é uma exceção nos 5 bilhões de seres humanos
imperfeitos do planeta.
Você pode ter uma vida feliz apesar de seu problema de elocução, sem contar
que graças a este livro você está no bom caminho para resolvê-lo nas próximas
semanas ou meses.
Aplique-se e boa sorte!
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-103-
Exercício 14
Lembre-se de conversas agradáveis
Ao longo deste exercício, você tentará mudar a maneira como você percebe a
expressão oral. Como a maioria dos gagos, você considera a expressão oral como
uma experiência dolorosa. Esta percepção é um elemento chave do iceberg da
gagueira e deverá ser substituído pelo seu equivalente do iceberg da boa elocução.
Lembre-se de conversas agradáveis
Tente recordar-se de algumas experiências agradáveis onde você conversava com
amigos ou com a família. Isto pode ser difícil a princípio. Talvez você tenha a
impressão de que falar nunca é agradável: ou você gagueja ou teme gaguejar.
Continue procurando e provavelmente você se lembrará de um momento
agradável ao lado de amigos no mês passado quando vocês jantavam num
restaurante. Lembre-se de como eles riram da piada que você contou. É verdade,
você gaguejou do princípio ao fim, mas eles o ouviram. Talvez eles se sentiram
levemente embaraçados quando você gaguejava, mas isto não os impediu de se
divertir ao ouvi-lo. Lembre-se de como eles choraram de rir quando você terminou a
história. Lembre-se de como eles o felicitaram por esta história hilariante. Você
acha que seus amigos questionam seu valor pessoal porque você gagueja?
Certamente, não!
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-104-
Você se lembra de ter ido à pescaria com seu melhor amigo: é evidente que você
gaguejou o dia inteiro, mas você teve um ótimo dia. Você se lembra daquele jantar
em família no Natal. Você se lembra quando você perguntava ao seu avô sobre os
velhos tempos.
Continue se lembrando de experiências agradáveis, conversando. Não julgue
suas lembranças segundo sua facilidade de elocução. Que você tenha gaguejado ou
não, não há importância. O importante é que você tenha se divertido falando e que
seus amigos ou familiares, tenham tido, eles também prazer em ouvi-lo. Veja todas
as suas experiências de maneira positiva.
O mais importante é que você se dê conta de que você aproveita mesmo se você
gagueja. Uma elocução perfeita não é indispensável para ter uma vida agradável e se
divertir falando com outras pessoas.
Agora que você consegue se lembrar de experiências positivas, tente se imaginar
em situações de diálogos imaginários. Imagine-se em diferentes situações:
conversando com amigos ou pessoas da família, pedindo um aumento ao seu chefe,
comprando aspirina ou uma passagem de trem, pedindo informação a um policial
etc…
Você não precisa se imaginar falando perfeitamente porque não seria realista.
Você deve se imaginar um gago feliz. Você gagueja sem vergonha e os outros
aceitam sua gagueira. Eles o ouvem mesmo quando você gagueja fortemente. Você
gagueja sem medo e eles o ouvem porque você tem algo interessante a dizer e
porque eles gostam de estar com você. Eles sabem que você é uma boa pessoa e que
sua gagueira não modifica em nada o que sentem por você.
Referência
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-105-
Exercício 15
Aceite sua gagueira
A aceitação de sua gagueira é uma etapa essencial para atingir a boa elocução.
Muitos gagos têm vergonha de sua deficiência. Eles têm a sensação de que os outros
vêm sua má elocução como uma prova de sua incapacidade. Eles temem que sua
gagueira incite as outras pessoas a pensarem que eles têm algum tipo de doença
mental.
Esta vergonha pode ser tão esmagadora que muitos gagos tentam se convencer
que eles não gaguejam realmente. Você pode, por exemplo, evitar ver a realidade
dizendo-se que seu interlocutor não compreendeu o que você disse não por causa de
sua gagueira, mas porque havia muito barulho ou porque ele é meio surdo.
Você provavelmente evita encarar a realidade para preservar seu amor próprio.
Esta astúcia pode funcionar por algum tempo, mas cedo ou tarde, você deve aceitar
a realidade: você gagueja.
Não vale a pena tentar se convencer de que você não gagueja. A gagueira não é
uma doença da qual você deve ter vergonha, mas uma maneira diferente e inabitual
de falar. Isto não quer dizer que você seja incapaz, inútil ou louco. Assegure-se: as
outras pessoas não vêem a gagueira como uma prova de estupidez. Elas vêem a
gagueira como ela é: uma maneira estranha e inabitual de falar.
Seja honesto com você mesmo e aceite o fato de que você gagueja. Fale com
seus amigos e sua família sobre seu problema. Faça-os saber como você o ressente e
pergunte a eles o que acham. Para a maioria das pessoas que não são gagas, a
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-106-
gagueira é um mistério. Provavelmente elas estarão felizes de falar a respeito deste
estranho fenômeno. Explique-os o que é o mecanismo Valsalva e como ele interfere
na fala induzindo os bloqueios da gagueira.
Aceitando o fato de que você gagueja e dividindo seus sentimentos a respeito da
gagueira com seus amigos e sua família, você verá sua maneira de falar com
objetividade e aproveitará de sua experiência. Isto permite medir seu progresso à
medida que você avança na leitura deste livro.
Você também perceberá a gagueira de maneira menos pessoal e isto terá um
efeito positivo sobre o controle da gagueira. Você não vai se angustiar com a idéia
de que você pode gaguejar e será menos provável que você ative acidentalmente
uma manobra Valsalva enquanto fala. E se por acaso você gaguejar isto não terá
nenhum efeito desastroso sobre sua estima pessoal. Você já sabe que gaguejará e já
aceitou a idéia.
Aceitar a presença de todos os elementos do iceberg da gagueira
O reconhecimento e a aceitação de suas dificuldades de elocução não são
suficientes. Você também deve compreender e aceitar cada um dos elementos do
iceberg da gagueira. Desta maneira será mais fácil trabalhar cada um dos elementos
e substituí-los pelos equivalentes do iceberg da boa elocução.
Você deve ser honesto em relação a você mesmo ao trabalhar os elementos do
iceberg da gagueira. Os comportamentos, sentimentos e percepções ligados à
gagueira não são uma prova de fraqueza. Observe-os e aceite-os como eles são.
1. Contração dos músculos do mecanismo Valsalva
Conscientize-se de que você costuma contrair os músculos do mecanismo Valsalva.
2. Respiração irregular
Não é possível esconder que há algo de anormal quando você fala acidentalmente
sem ar nos pulmões ou inspirando. Não há nenhuma vergonha nisso e será mais
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-107-
fácil resolver o problema se você aceitar que às vezes tem dificuldades a sincronizar
respiração e fala.
3. Utilização de palavras tapa-buracos e de arranque
Conscientize-se de que você utiliza palavras inúteis para iniciar ou palavras tapaburaco.
Não faça como se estas palavras inúteis fossem necessárias e tornassem seu
discurso mais inteligível.
4. Emoções, sentimentos e percepções negativas
Preste atenção a suas emoções, sentimentos e percepções negativos. Será difícil
eliminá-los se não aceitá-los. Observe como eles interferem em sua elocução.
5. Medo de falar em certas circunstâncias
Aceite o fato de que você tem medo de falar em certas circunstâncias. Observe o
que você sente quando deve telefonar, falar com seu chefe ou a um policial etc.
Admita seu medo, mas não deixe que ele o impeça de falar.
6. Ficar recuado
Não faça de conta que você não fica recuado, se você o faz. Reconheça que você
não é tão ousado e extrovertido quanto gostaria de ser, e não faça de conta que não
tem nada a dizer para evitar falar.
7. Evitar: toda uma técnica
Observe como você recorre a algumas técnicas de contorno. Aceite o fato de que
você substitui muito freqüentemente as palavras.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-108-
8. Fuga do olhar
Aceite que é muito mais difícil pra você que para as outras pessoas manter o contato
visual.
9. Tendência a ficar estático
Veja como freqüentemente você esta paralisado pelo medo de gaguejar e como isso
o impede de utilizar a linguagem corporal.
10. Tendência a falar em voz baixa
Observe como você fala em voz baixa porque não quer que os outros o ouçam
gaguejar.
11. Resistência às mudanças
Reconheça que seu subconsciente não esta pronto às mudanças e que isso o impede
de progredir.
Gagueje sem vergonha
Não faça de conta que você fala normalmente. Não tente esconder sua gagueira. Se
você tentar esconder, você vai se estressar, e isso aumentará suas chances de
gaguejar. Você deve, pelo contrario, gaguejar abertamente e sem vergonha.
Não seja politicamente correto consigo mesmo
Os anglo-saxões inventaram um termo politicamente correto para designar os gagos:
PWS, um acrônimo que significa “Person Who Stutters”, quer dizer, “Pessoa que
gagueja”. A língua inglesa já estava enriquecida de duas palavras significando gago:
“stutterer” utilizado principalmente na América do Norte e na Austrália e
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-109-
“stammerer” preferido pelo britânicos e irlandeses. Mas os partidários do
politicamente correto são doces utopistas que acreditam poder resolver os problemas
inventando novas palavras e modificando o sentido de palavras já existentes.
Há vários anos que o vírus do politicamente correto contaminou Brasil/Portugal
e é bem provável que a língua portuguesa “se enriqueça” em breve de um termo
politicamente correto do tipo PQG (Pessoa Que Gagueja) ou PEDE (Pessoa com
Elocução Difícil e Errática).
O que quer que aconteça, não ceda às sirenes do politicamente correto.
Você não é nem um PWS, nem um PQG.
Você é GAGO. Você tem que aceitar...
Referências
FRASER Malcom, Self-therapy for the stutter, Stuttering Foundation, 1978
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-110-
Exercício 16
Comporte-se como um “não gago”
Eu tenho certeza que quando você está na fila da padaria, repete para si mesmo sem
parar “um pão, por favor… um pão, por favor… um pão, por favor…” Se a fila é
bastante grande você provavelmente repetirá esta frase uma centena de vezes. Ou
então você terá dificuldades para se decidir entre dizer: “quero um pão” ou “gostaria
de ter um pão”. “Quero um pão” é mais curto, desta maneira o risco de gaguejar é
menor. Por outro lado, “gostaria de ter um pão” contém duas palavras a mais antes
da temida palavra “pão”. Você espera que estas palavras o permitam ter impulso
bastante para passar por esta palavra.
As outras pessoas na fila
O que fazem as outras pessoas na fila da padaria? Você acha que elas repetem sem
parar “eu croissant, por favor” “uma broa de milho, por favor”? Você acha que
pensam em como formular o pedido? É claro que não! Um “não-gago” começa a
refletir à maneira como vai fazer o pedido, alguns milímetros de segundo antes de
abrir a boca. Enquanto isso tem a mente livre, pensa no lindo fim de semana ou no
fantástico carro que gostaria de comprar. Talvez pense no que faria se fosse
presidente da república ou técnico da seleção… Ou ainda, comece a conversar com
alguém na fila.
É assim que você deveria se comportar. Decida o que vai pedir antes de entrar
na padaria e não pense mais nisso enquanto estiver na fila. Se você souber o que vai
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-111-
pedir, deveria ser capaz de dizer perfeitamente sem precisar repetir uma centena de
vezes. Seu cérebro é potente e alguns milésimos de segundos são suficientes para
formular a frase que você dirá.
Repetindo a frase ou procurando a melhor maneira de formular seu pedido o
preocupam inutilmente; lembre-se que o estresse aumenta a probabilidade de ativar
uma manobra Valsalva e de gaguejar.
Fale lentamente quando estiver sob pressão
Quando um gago está sob pressão, costuma falar mais rápido. Fazendo isso, ele se
estressa e isso aumenta a probabilidade de um bloqueio.
Quando um “não-gago” está sob pressão, ele faz o contrário: fala mais
lentamente. Isso há um efeito relaxante e permite concentrar-se.
Mais uma vez, você deve tentar se comportar como um “não-gago”. Quanto
mais forte é a pressão, mais lentamente você deve falar. Quando fizer isso, tente
aproveitar do relaxamento provocado pelas palavras que saem suavemente de sua
boca.
Referência
FRASER Malcom, Self-therapy for the stutter, Stuttering Foundation, 2002
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-112-
Exercício 17
Espelho
Você provavelmente sabe que os gagos não gaguejam quando estão sozinhos e
falam em voz alta ou quando falam com um animal. A gagueira só acontece diante
de outras pessoas.
Você pode simular a presença de outra pessoa lendo em voz alta diante de um
espelho. Você também pode utilizar um gravador ou uma filmadora além do
espelho. Ver ou ouvir não é uma experiência agradável no princípio, mas você se
acostumará rapidamente.
Seja qual for o método que você escolher, ele o ajudará progressivamente a falar
na presença de outras pessoas. Ele vai reduzir a sensação de mal-estar que você
pode sentir falando em público.
Eu sugiro a leitura de alguns textos escritos utilizando a técnica da reserva de ar
e do início cauteloso. Memorize cada frase ou pedaço de frase e diga-a em voz alta
se olhando nos olhos.
Evidentemente você pode incluir o espelho e o gravador ou a filmadora nos
exercícios cotidianos que você faz pela manhã e à noite.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-113-
Exercício 18
Olhe as pessoas nos olhos
A importância do contato visual
Evitar o contato visual é um dos elementos da parte escondida do iceberg da
gagueira e é importante que você mude este hábito para eliminar definitivamente a
gagueira.
O contato visual é um meio de comunicação não-verbal intenso entre dois
indivíduos. Os gagos tendem a evitar olhar nos olhos provavelmente porque o
contato visual transmite principalmente as emoções e os sentimentos; os gagos
costumam esconder seus sentimentos e querem guardar suas emoções sob controle.
O contato visual dá um sentimento de intimidade que os gagos consideram
inadequado e embaraçoso. E mais, com medo de gaguejar, preferem olhar em outra
direção porque eles não querem confrontar a reação de seu interlocutor.
Mesmo se os gagos costumam evitar o contato visual, às vezes acontece de olhar
nos olhos de seu interlocutor para obter algumas informações sobre o que ele pensa
ou sente. Você talvez já tenha percebido a que ponto é constrangedor falar com
alguém que usa óculos escuros que escondem completamente o olhar. É como falar
com um muro. Você não está certo do que a pessoa pensa ou sente. Você nem está
certo se a pessoa o está ouvindo. Será que esta pessoa está interessada pelo que você
está dizendo ou ela se aborrece? Esta pessoa está com pena? Você pode confiar
nela? Agora você se dá conta da quantidade de informações que são ocultas pelos
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-114-
óculos escuros. Você também entende a importância do contato visual numa
comunicação eficaz.
Olhar nos olhos de seu ouvinte pode mostrá-lo muito a respeito do que ele pensa
ou sente. Se a pessoa fecha levemente os olhos, isto provavelmente quer dizer que
ela tem dificuldades a seguir seu raciocínio. Percebendo isto, você compreende que
deve falar mais lentamente e explicar precisamente o que quer dizer. Se esta pessoa
tem os olhos bem abertos, isto quer dizer que ela está surpresa ou pasmada. Se, é o
que você estava procurando, então você sabe que conseguiu. Senão você deverá
explicar sua posição com mais detalhes.
Exercite-se a olhar seus interlocutores nos olhos
Nos próximos dias, você se esforçará a manter o contato visual o máximo possível a
cada vez que falar com alguém. No princípio, manter o contato visual vai deixá-lo
terrivelmente incomodado e seus olhos vão inevitavelmente fugir e se colocar sobre
“objetos de baixa intensidade” tais como o nariz, os lábios ou a gravata de seu
interlocutor. Ou seu olhar vai se perder sobre um objeto afastado.
Sua primeira impressão será a de que é impossível olhar nos olhos do outro mais
de meio segundo. Tente manter o contato visual por mais tempo a cada vez. Eu me
lembro que depois de dois dias de exercício, consegui manter o contato visual por
15 minutos. Sim, 15 longos minutos...Antes, eu nunca teria pensado que isto seria
possível ou mesmo apropriado. Isso não pareceu ser uma provação para meu colega,
mas quando a conversa terminou, eu me sentia exausto. Eu me sentia esmagado pelo
estranho sentimento de ter meus olhos fixados nos dele. Durante 15 minutos eu só vi
os dois círculos negros de suas pupilas. Eu não esperava mais nada de nossa
conversa. Os outros colegas que circulavam e falavam a nossa volta não existiam
mais.
Por que meus amigos evitam o contato visual?
A primeira vez que você tentará manter o contato visual, você provavelmente verá
que as pessoas que você não conhece geralmente não evitarão o contato visual. Em
compensação, você poderá se surpreender ao constatar que seus amigos e membros
de sua família fogem sistematicamente de seu olhar. A principio, você poderá ver
nesta atitude uma prova de que é inadequado olhar as pessoas nos olhos. Você
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-115-
poderá começar a se perguntar o que os outros pensam de você quando você insiste
em manter este contato.Você poderá temer que este exercício possa levar os outros a
pensarem que você sofre de uma doença mental. Não se preocupe com isso e
continue a praticar. Você perceberá dia após dia que seus amigos e familiares
pararão progressivamente de evitar este olhar. De fato, a razão pela qual eles evitam
cruzar seu olhar é porque consciente ou inconscientemente eles sabem que você tem
dificuldades a manter este contato visual e eles preferem evitar embaraçá-lo
olhando-o nos olhos.
Ou talvez, eles estejam simplesmente imitando seu comportamento? Os seres
humanos são animais sociais que costumam imitar o comportamento dos outros que
o cercam. Eu já percebi que os turistas tendem a imitar a população local. Por
exemplo, em Londres, as pessoas andar do lado direito da calçada e os turistas
fazem imediatamente a mesma coisa. Nos países onde os pedestres andam de
maneira indisciplinada e param no meio do caminho criando “engarrafamentos de
pedestres”, os turistas, mesmo aqueles que vêm de países mais disciplinados,
costumam fazer o mesmo e não hesitarão a congestionar a calçada enquanto tentam
encontrar a direção. Curiosamente, acontece dos autóctones reclamarem desses
“turistas estúpidos” que engarrafam as calçadas.
De tanto praticar o contato visual, seus amigos e familiares perceberão a
mudança em seu comportamento, imitarão e também acabarão guardando o contato
visual quando falarem com você.
Dia após dia, olhar as pessoas nos olhos parecerá mais natural e você deverá
continuar praticando até que isto se torne um hábito.
Estabeleça o contato visual antes de começar a fala
Antes de começar a falar com alguém, olhe-o nos olhos por alguns segundos.
Olhando seu interlocutor nos olhos, permite o estabelecimento de uma comunicação
não-verbal. Você saberá que a outra pessoa está pronta a ouvi-lo e esperar que você
termine sua frase. Você verá que não é necessário se apressar e se sentirá mais à
vontade com seu interlocutor.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-116-
Guardar o contato visual durante os bloqueios da gagueira
É importante continuar olhando nos olhos de seu interlocutor mesmo quando você
bloqueia em uma palavra. Quando um gago sente que um bloqueio vai acontecer,
costuma evitar o olhar para não ver a reação de seu interlocutor. Você deve resistir a
esta tendência e continuar olhando outro nos olhos mesmo se você fica estagnado
em uma palavra durante alguns segundos. Isto pode parecer terrivelmente
desconfortável para você de ler o embaraço no rosto de seu interlocutor, mas saiba
que este se sentirá ainda mais embaraçado se você olhar em outra direção.
Falar com várias pessoas
Quando você fala com uma só pessoa, você de olhá-la nos olhos sempre que
possível. Você deve simplesmente fixar seus olhos nos dela. Quando você fala com
várias pessoas, deve olhar sucessivamente nos olhos de diferentes pessoas por
alguns segundos. Suponhamos que você esteja falando com Pedro, Alan e Jaqueline.
Comece olhando Pedro nos olhos alguns segundos e desloque seu olhar em direção
aos de Alan e alguns segundos mais tarde em direção aos de Jaqueline.
Você também deve ajustar o tempo concedido às diferentes pessoas segundo as
circunstâncias. Por exemplo, se Pedro está no centro da conversa, você deve passar
mais tempo olhando para ele e às vezes dar uma olhada em direção a Alan e
Jaqueline para verificar como eles ressentem o que você diz. Se você perceber que
Jaqueline não concorda com o que você está falando, dirija-se a ela e guarde o
contato visual com esta verificando regularmente as reações de Pedro e Alan.
Referências
FRASER Malcom, Self-therapy for the stutterer, Stuttering Foundation, 1978
HARRISON, John C., Conquer Your Fears of Speaking before People, National Stuttering
Association, 1989
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-117-
Exercício 19
Faça pequenos gestos
Fazer gestos é importante para uma comunicação eficaz
Os gagos geralmente ficam paralisados enquanto falam, evitam mover os braços ou
qualquer outra parte do corpo. Muitos “não-gagos” também têm esta tendência, mas
é mais comum nos gagos. Talvez porque estes consideram a elocução como uma
atividade perigosa. Eles se sentem em perigo e recorrem à mesma estratégia que
aquela utilizada por nossos ancestrais pré-históricos quando se encontravam diante
de um animal selvagem: ficar imóvel esperando não ser percebido por ele.
É certamente uma boa idéia a de evitar ser visto por um animal selvagem: você
não quer fazer parte da próxima refeição... Mas as outras pessoas não vão devorá-lo.
Por que você evitaria captar a atenção delas? Se você não captar a atenção delas,
elas não o ouvirão. A que serve falar a alguém que não o ouve? Se elas não o
ouvem, há chances de que você não se sinta à vontade e conseqüentemente isto o
fará gaguejar.
Movendo seu corpo, você se sentirá mais à vontade. Isto impedirá a tensão de
subir. Eu já mencionei esta tensão que sentimos antes de gaguejarmos. Movimentar
o corpo é uma excelente maneira de fazê-la desaparecer.
Faça gestos com desenvoltura, você se sentirá melhor e seu interlocutor também.
O que você ressente há um grande impacto sobre o que ressente seu interlocutor.
Uma vez que vocês estejam mais à vontade, uma relação de confiança e sem
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-118-
embaraço há muita chance de acontecer. O fato de seu interlocutor estar
descontraído e concentrado no que você diz, o ajudará ainda mais a diminuir a
tensão e a gagueira será muito mais improvável.
Exercite a fazer gestos
Nos próximos dias, você praticará a fazer gestos enquanto fala com os outros. Há
muitas coisas que você pode fazer para tornar a conversa mais descontraída e eficaz.
Se você estiver sentado em uma cadeira, você não necessita instalar-se
corretamente. Tente diferentes posições. Tente, por exemplo, inclinar-se para trás e
cruzar as pernas. Talvez, colocar as mãos atrás da cabeça. Esta posição o permitirá
de inspirar profundamente alimentando, assim, seu sangue de oxigênio. Você se
sente bem nesta posição?
Você também pode inclinar-se para a frente, desta maneira você se aproximará
de seu interlocutor tornando mais fácil a troca de informações confidenciais.
Se você estiver em pé e fala com um colega sentado atrás de uma mesa, você
pode colocar uma de suas mãos no encosto da cadeira ou, ainda, o encosto de outra
cadeira inclinando-se levemente sobre esta.
Se os dois estiverem em pé, talvez você possa esticar o braço e colocar uma das
mãos numa parede. Ou colocar um dos pés na travessa de uma cadeira. Ou ainda,
pegar um objeto sobre uma mesa e brincar com ele.
Em algumas circunstâncias, você até pode tocar a pessoa com quem fala. Você
pode colocar a mão no ombro de seu amigo ou tocar levemente o cotovelo deste.
Evidentemente, só depende da pessoa com quem você esteja falando.
Exercite-se a mover seu corpo durante alguns dias até que isto se torne natural.
E evidentemente, fazendo este exercício, você não deve esquecer o exercício
precedente, ou seja, guardar o contato visual. Se mover olhando seu auditor nos
olhos não é fácil...
Boa sorte!
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-119-
Referências
HARRISON, John C., Conquer Your Fears of Speaking before People, National Stuttering
Association, 1989
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-120-
Exercício 20
Faça seu corpo falar
A importância da linguagem corporal
Este exercício se parece com o precedente, mas é muito mais técnico; No exercício
precedente, você se exercitou a fazer gestos enquanto falava a fim de se sentir mais
à vontade em seu ambiente. Você viu também que o fato de movimentar seu corpo
pode atirar a atenção de seu interlocutor.
Agora, vamos ver como os movimentos do corpo podem transmitir uma
mensagem e tornar a comunicação mais eficaz e agradável. Modular sons com a
boca e a laringe não é a única maneira de se fazer entender.
Em alguns casos, a linguagem corporal pode ser a única alternativa à
comunicação oral:
- virar a cabeça para os dois lados quer dizer “não” ou “eu não concordo”
- mover a cabeça para cima e para baixo algumas vezes significa “sim” ou “eu
concordo”
- apontar uma garrafa de suco de laranja pode ser suficiente para incitar
alguém a entregá-la. Às vezes, você pode ser compreendido simplesmente por
olhar numa certa direção.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-121-
Na maior parte das vezes, a linguagem corporal é utilizada simultaneamente
com a comunicação verbal. Isto torna a comunicação mais viva e descritiva. É uma
boa maneira de assegurar a comunicação e de verificar se seu interlocutor o ouve.
Pisque
Pisque e veja a reação de seu interlocutor. Seu interlocutor provavelmente sorrirá ou
piscará de volta. Como você se sente? Não é agradável se comunicar sem utilizar a
fala? Isto o torna feliz e descontraído e seu interlocutor se sente provavelmente da
mesma maneira. Vocês dois se sentem à vontade, e isto torna a comunicação mais
fácil e há menos chance de que você gagueje.
O que significa uma piscada? Geralmente quer dizer que você está de bom
humor e que está feliz por estar com esta pessoa. Em geral, não é o tipo de coisa que
as pessoas exprimam com palavras. É tão mais fácil e rápido de dizê-lo piscando.
Isto demonstra claramente a importância da linguagem corporal: ela o permite de
dizer as coisas de maneira mais rápida e apropriada.
Fale com as mãos e o rosto
Tente utilizar seu corpo enquanto fala sempre que possível. Faça mímicas para
demonstrar o que você fala. Você foi à pescaria no fim de semana e quer explicar a
seu colega o tamanho do peixe: eu acho que você sabe o que as mãos e os músculos
do rosto podem fazer. Olhe seu interlocutor: seus olhos estão arregalados. Sim! Ele
recebeu a mensagem: seu peixe era realmente grande.
Certifique-se de que seu rosto exprima bem o que você quer dizer enquanto fala.
Sorria se tiver vontade de sorrir, faça careta se algo o desagrada, arregale os olhos
para expressar surpresa, pisque ou agite a cabeça se você tiver dificuldade a
compreender o que está sendo explicado...
Há muitas coisas que você pode fazer com seu rosto, sua cabeça e suas mãos
para ser compreendido durante a comunicação. Tente utilizá-las sempre que
possível e veja o quanto isto torna a comunicação mais eficaz e agradável. A
expressão corporal pode substituir ou reforçar a comunicação oral e a torna viva e
convincente. Veja como a expressão corporal contribui para que você relaxe.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-122-
Tente pelo menos uma vez por dia se expressar sem utilizar palavras. O objetivo
evidentemente não é evitar a gagueira evitando falar. A linguagem corporal não
substitui a comunicação oral. O objetivo é se conscientizar de que a comunicação
não-verbal pode ser eficaz. O objetivo é se tornar um comunicador eficaz.
O que você pensa quando encontra alguém que sabe dizer o que quer somente
com um movimento do mindinho? Provavelmente você vai pensar que esta pessoa
tem um senso de comunicação impressionante. Portanto é uma técnica que você
pode facilmente dominar seja qual for o nível de sua gagueira.
Quando você conseguir dominar esta técnica, as pessoas mais próximas a você o
considerarão como um comunicador eficaz. Você será mais confiante e isto
diminuirá a probabilidade de gaguejar.
Referência
HARRISON, John C., Conquer Your Fears of Speaking before People, National Stuttering
Association, 1989
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-123-
Exercício 21
Como interromper as pessoas
É realmente falta de educação?
Quando criança provavelmente o ensinaram que não devemos interromper as
pessoas enquanto estas falam: é falta de educação.
É certamente impolido, mas na prática, freqüentemente você deve interromper
uma outra pessoa enquanto ela fala. Se você tem algo urgente a dizer, você não pode
esperar que esta pessoa falante termine de falar do tempo. O tempo é um assunto
sem fim, e você pode esperar duas horas antes de ter a oportunidade de falar.
Ter algo importante a dizer não é a única razão pela qual você deve interromper
as pessoas. Algumas pessoas são tão falantes que se você não interromper, elas
continuarão falando o dia inteiro. Você também tem o direito de falar e reivindique
este direito.
A melhor maneira de interromper os outros
O pior a fazer é se precipitar e começar a falar junto com a outra pessoa. É um erro
grosseiro porque:
1- É falta de educação.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-124-
2- Ninguém o ouvirá. Se ninguém ouve o que você fala, isto o deixará nervoso e
perturbado e o risco de gaguejar é maior.
Por isso é importante interromper uma pessoa falante dizendo algo do tipo:
“Leonel desculpe se interrompo, mas tenho algo importante a dizer”. Utilize a
linguagem corporal; você pode, por exemplo, levantar a mão para fazer esta pessoa
compreender que deve parar de falar. Certifique-se de que ela parou e de que você
tem a atenção dela e das outras pessoas do grupo. Faça um instante de pausa, olhe
nos olhos, depois comece a falar calmamente e com confiança.
Se você age desta maneira, sabe que todos o ouvirão. Neste caso, você não
sentirá nenhuma necessidade de se apressar; você será confiante porque nesta
situação é fácil relaxar e se controlar. O risco de gaguejar é menor.
Assegurar-se de que você tem a atenção de seu ouvinte é extremamente
importante. Eu me lembro de um ortofonista me dizendo que eu gaguejava para
chamar a atenção. Acho que ele não entendeu nada. Creio que em muitos casos eu
gaguejava porque não conseguia ter atenção. Se você tem a impressão de que a
outra pessoa não o ouve, você se sente inconfortável e desvalorizado. Você terá
tendência a acelerar o ritmo da fala e conseqüentemente gaguejará. Se você sabe que
a outra pessoa o ouve, você se sente importante e confiante. Você controla a
conversa, então não sente a necessidade de se apressar. Você terá todo o tempo para
relaxar, isto o permitirá provavelmente de ter uma boa elocução.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-125-
Exercício 22
Fale alto
Os outros
Você já percebeu que algumas pessoas falam em voz baixa? Quando estou
dirigindo, tenho muita dificuldade a entender o que diz o passageiro: a voz deste é
um pouco mais alta que o barulho que vem do motor. Já me aconteceu de desejar
que meu passageiro seja como um rádio equipado de um botão que pudesse
aumentar o volume. Quando digo ao passageiro que fale mais alto, tenho
freqüentemente a mesma resposta estúpida se eu esqueci de limpar as orelhas. Muito
engraçado!
A verdade é que o passageiro está convencido de falar forte o bastante: os
ouvidos dele estão tão próximos da laringe e da boca, que sua própria voz parece
provavelmente bem alta. Ele não imagina que poderia falar mais alto.
E você?
De fato, é provável que você fale de maneira quase inaudível. Você acha que fala
alto o bastante, mas provavelmente os outros ficariam felizes se você falasse um
pouco mais alto.
Se você gagueja, falar em voz baixa é uma grande vantagem. Seus ba-ba-ba-baba
e p-p-p-p-po não podem ser ouvidos por muita gente. Você não quer que todos
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-126-
saibam que gagueja. Por esta razão, você provavelmente pegou o hábito de falar
ainda mais baixo que a maioria das pessoas.
Fale alto
Nos próximos dias, você tentará falar mais alto do que está acostumado. Não se
preocupe se você gaguejar. Certamente muitas pessoas o ouvirão gaguejar. E mais,
já falamos sobre o fato de que você deve aceitar sua gagueira e que não há nenhuma
razão para ter vergonha de sua má elocução. Falar mais alto é uma boa maneira de
mostrar a você mesmo e ao mundo que você pode viver com sua gagueira e que
você não tem vergonha.
O que você acha das pessoas que falam mais alto que a maioria? Provavelmente
você acha que ela é muito segura. Você prestará muita atenção ao que ela diz e terá
tendência a acreditar nela.
Se isto funciona desta maneira para os outros, será o mesmo para você. Falando
alto, você ganhará confiança e as pessoas prestarão mais atenção e acreditarão no
que você diz. E isto melhorará sua pronúncia. Você será confiante e provavelmente
gaguejará menos.
Falar alto também há um efeito favorável sobre o mecanismo Valsalva. Você
sonoriza mais e isto há um efeito relaxante sobre a laringe.
Além disso, se você fala mais alto, você será obrigado a respirar mais
profundamente e isto terá igualmente um efeito relaxante.
Aumente progressivamente o volume de sua voz. Não tenha medo de ensurdecer
seu interlocutor. Lembre-se de que sua laringe está muito próxima de seus ouvidos e
que você ouvirá mais alto que ele. Enquanto seu interlocutor não cobrir os ouvidos
com as mãos, você pode falar ainda mais alto.
Agora, suponhamos que você precise falar com Xavier. Ele está a mais ou
menos 10 metros de você. O que você vai fazer? Vai andar até onde ele está e
cochichar o que tem a dizer? NÃO! Você ficará onde está e gritará na direção dele.
Isto quer dizer que 10 ou 20 pessoas ouvirão o que você fala e provavelmente o
ouvirão gaguejar. Você não tem mais vergonha de sua gagueira e já não há nenhum
problema.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-127-
Continue a se concentrar sobre o volume de sua voz nos próximos dias.
Enquanto você fala, preste atenção ao que você sente. Você se sente esquisito e
desconfortável? É normal. Você se comporta de uma maneira à qual não está
habituado e isto levará alguns dias até que se acostume. Então você ainda pode
aumentar o volume de sua voz.
Você se sente mais confiante e ousado que usualmente? Ótimo! Isto quer dizer
que você se adapta rapidamente. Você pode continuar a aumentar o volume de sua
voz.
Observe como as outras pessoas reagem a sua nova maneira de falar. Elas
prestam mais atenção?
Elas parecem mais dinâmica e ousadas? Não é surpreendente, porque as outras
pessoas freqüentemente se comportam como um espelho. Você sorri, elas também
sorriem. Se você pisca, elas piscam de volta. Se você fala em voz baixa e doce, elas
parecerão tristes. Se você fala em voz alta e enérgica, elas refletirão esta energia e
parecerão dinâmicas e ousadas.
Agora veja como você interage com os outros. Você não está mais no seu canto
lutando contra sua gagueira. Ao invés disto, você se comunica intensamente com
outras pessoas. Você não troca somente palavras e idéias, mas pode influenciar o
caráter e o comportamento delas.
Você não precisa mais ter uma boa elocução para fazer isso. Basta falar mais
alto, utilizar a linguagem corporal, sorrir e piscar.
Dias bons e outros ruins
Você provavelmente percebeu que a gagueira varia de um dia para outro. Um dia,
você quase não gagueja e no dia seguinte você gagueja muito. Ninguém sabe porque
a gagueira varia a este ponto, mas certamente já se deu conta de que gagueja muito
mais quando estiver cansado ou doente. Imagino que isso venha do fato de que
quando estamos cansados ou doentes, falamos mais baixo que o habitual e isto
favoreça a gagueira.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-128-
A próxima vez que você tiver um dia difícil, lembre-se e tente falar mais forte.
Talvez seja bastante para transformar este “dia ruim” em “bom dia!”
Referências
HARRISON, John C., Conquer Your Fears of Speaking before People, National Stuttering
Association, 1989
STRYDOM, Jan, Stuttering: Helping Your Youngster Overcome it,
http://www.audiblox2000.com/more06.htm
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-129-
Exercício 23
Cante!
Os gagos não gaguejam quando cantam
Os gagos não gaguejam quando cantam. Por quê? Talvez porque o canto não é
tratado pela mesma parte do cérebro que a fala. Ou talvez porque quando você
canta, você acentua a sonorização e isto impede as cordas vocais de fecharem.
Uma excelente maneira de eliminar a gagueira seria cantar o tempo todo. Você
poderia cantar para pedir uma baguete ao padeiro. Você poderia cantar no escritório
de seu chefe pedindo um aumento. Mas eu não acho que esta solução seria realista!
Acrescente musicalidade à sua voz!
Na prática, o que você pode fazer é acrescentar música à sua voz. Se ouvir
atentamente verá que muitas pessoas a sua volta (entre elas os melhores oradores)
freqüentemente modulam a entonação e o volume da voz enquanto falam. Elas
enfatizam algumas sílabas a fim de chamar a atenção de seus ouvintes. Elas também
querem mostrar que estão de bom humor e sentem enorme prazer em falar com
amigos.
Ouça atentamente como elas falam e tente fazer o mesmo.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-130-
Por exemplo, ao invés de dizer “Bom-dia” com uma voz monótona, você pode
dizer: “Bom-dia, Andrééééé! Como vai?” com a voz mais intensa e alegre.
André seguramente se sentirá feliz por ser recebido com tanta energia e
entusiasmo. Observe como ele reage. Ele está feliz porque você o saudou usando
nome dele. O que o deixou mais feliz foi a maneira como você enfatizou nome dele
prolongando a segunda sílaba. Agora que você o agradou, a comunicação com ele
será mais fácil e descontraída. O risco de gaguejar é menor.
Exercite-se a colocar musicalidade em sua voz por alguns dias e observe o
quanto a comunicação se torna mais viva e relaxada. Falar se torna uma experiência
mais agradável e você terá um melhor contato com os outros.
Referências
FRASER Malcom, Self-therapy for the stutter, Stuttering Foundation, 2002
HARRISON, John C., Conquer Your Fears of Speaking before People, National Stuttering
Association, 1989
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-131-
Exercício 24
Faça pausas!
Pausas e bloqueios são coisas diferentes
Se você é gago, você provavelmente tem horror a pausas porque se parecem demais
a bloqueios. Se você sente que vai gaguejar, você vai acelerar o ritmo da fala para
acabar o mais rapidamente possível. Você tem a impressão de que se fizer uma
pausa ou se falar mais lentamente será alcançado pela gagueira.
Você vê as pausas como inimigos. Agora você aprenderá a transformá-las em
aliadas. Elas se tornarão as amigas que o ajudarão a relaxar e a melhorar a
comunicação.
As pausas o ajudarão a se controlar. Fazendo pausas você controlará a situação.
Se você não fizer pausas será a gagueira que controlará seu discurso.
As pausas o ajudarão a chamar a atenção de seus ouvintes
Suponhamos que você queira falar com Rosa, mas sente que vai gaguejar e pensa
em se precipitar e falar mais rápido. Você já sabe que esta precipitação não serve
para nada, porque já tentou milhões de vezes atravessar a gagueira sem sucesso.
Eu o aconselho a utilizar uma tática diferente. Comece usando a linguagem
corporal para chamar a atenção de Rosa. Por exemplo, levantar a mão ou apontar.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-132-
Nós já discutimos sobre os benefícios da utilização da linguagem corporal e você
sabe que é uma boa maneira de iniciar uma conversa. A partir do momento em que
você percebe que Rosa está prestando atenção, você diz: “Rosa! Tenho algo
importante a dizer!” Observe que ela está cada vez mais atenta. Ela gostaria de saber
o que você tem a dizer. Agora faça uma pausa.
Você sabe que Rosa ficará, não sairá até que você tenha digo o que há a dizer
porque ela está muito curiosa. Espere alguns segundos e veja como Rosa se torna
cada vez mais impaciente. Você controla a situação. Você não precisa suplicar a
Rosa para que o ouça. É ela quem vai suplicá-lo para que fale. Aproveite da pausa
para relaxar seu mecanismo Valsalva, depois fale calma e docemente. Faça algumas
pausas enquanto fala. Não há nenhuma razão de se precipitar, ela não sairá antes que
você termine.
Você também pode fazer uma pausa quando estiver contando uma piada. Cada
vez que você fizer uma pausa seus ouvintes se tornarão mais atentos ao que você
conta. Eles esperarão impacientemente o fim da história e cada pausa aumentará a
impaciência deles. Quanto mais você os torna impacientes, mais eles rirão ao fim da
história. Observe seus ouvintes quando fizer uma pausa, eles o olharão com olhos
arregalados, porque eles adoram o fato de que isso aumenta o suspense e torna a
brincadeira mais atraente. Eles sorriem se preparando para morrerem de rir. Observe
e saboreie o prazer de controlar a situação. Sinta como você se comunica
intensamente com sua platéia, pelas palavras e gestos. Saboreie este sentimento e
veja como seu mecanismo Valsalva está relaxado.
Percepção da duração da pausa
Pode acontecer de que você faça uma pausa no meio de uma frase, você pode ter um
lapso de memória e não encontra a palavra certa. A pausa para encontrar a palavra
certa pode parecer muito longa e você começa a se inquietar. Você continua a frase
após ter encontrado a palavra ideal. Você está convencido de que sua platéia não
esperava este momento de hesitação: bom, você ficará surpreso ao saber que na
maior parte do tempo seus ouvintes não perceberam nada porque o tempo foi muito
menos longo que você imagina! A melhor maneira de se convencer é filmar e
observar seu discurso através de imagens de vídeo, e você constatará que seu
momento de hesitação era quase imperceptível.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-133-
Fale lenta e calmamente
Os gagos tendem a falar mais rápido que a média. Os “não-gagos” se enganam ao
pensar que os gagos gaguejam porque falam rápido demais. Eu não acho que seja
verdade. Na realidade acho que é o contrário: eles falam rápido porque têm medo de
gaguejar e imaginam que fazendo assim terão tempo de terminar a frase antes que a
gagueira o domine.
O fato de falar lentamente não eliminará a gagueira, mas o ajudará a controlar
suas emoções. Seus interlocutores estarão muito mais concentrados no que você diz.
Isso o ajudará a melhorar sua elocução.
Referências
FRASER Malcom, Self-therapy for the stutterer, Stuttering Foundation, 2002
HARRISON, John C., Conquer Your Fears of Speaking before People, National Stuttering
Association, 1989
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-134-
Exercício 25
Mostre seus sentimentos
O círculo vicioso da adrenalina
Se você gagueja, tem tendência a se retrair. Você evita falar a cada vez que sente um
risco de bloqueio, principalmente quando há emoções envolvidas. Por exemplo, se
você se sente com raiva, você prefere esconder seus sentimentos porque teme
gaguejar se começar a falar.
Quando você está com raiva, a adrenalina é despejada em seu fluxo sanguíneo.
Se alguém o enerva, você elimina parte da adrenalina mostrando sua raiva falando
alto, ou até mesmo, gritando.
Uma descarga de adrenalina é útil quando você é ameaçado fisicamente, porque
ela dá a energia necessária para lutar ou fugir.
A adrenalina é menos útil quando o perigo não é físico. Por exemplo, quando
alguém o enerva. Neste caso, você pode eliminar a maior parte da adrenalina
exprimindo sua cólera e falando em voz alta...bem alta!!!
Mas o que acontece se você não elimina a adrenalina exprimindo sua raiva? Ela
fica guardada e pode gerar todo tipo de efeitos indesejáveis. Por exemplo, ela pode
contrair os músculos de seu mecanismo Valsalva.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-135-
Eu acho que você já compreendeu. Se você estiver nervoso e não falar nada
porque tem medo de gaguejar, a adrenalina se acumulará em seu corpo, e quanto
mais ela se acumula, será mais difícil falar. E se tornará mais estressante, e como
resultado mais adrenalina será produzida causando ainda mais dificuldade em
falar... Assim se formará um círculo vicioso: o círculo vicioso da adrenalina.
Não caia na armadilha
Para evitar este círculo vicioso, você deve dizer imediatamente a quem o irrita que
você não deixará por menos. Eu não quero dizer com isso que você vai começar a
gritar como um louco com alguém que o enervou. Você não precisa xingar a mãe
dele ou recorrer à violência física. Você deve em qualquer circunstância ficar no
limite do socialmente aceitável. Você não quer fazer inimigos, porque isso
provocaria uma outra descarga de adrenalina.
O ideal é ser capaz de falar num tom mais elevado que o habitual, mas
calmamente e com determinação. Desta maneira a outra pessoa verá que é melhor
não o importunar. Sendo calmo e determinado você ganhará confiança e os outros o
respeitarão. Será mais fácil falar com uma boa elocução.
Evidentemente, quando você exprime sua raiva num tom mais alto e com calma
e determinação, assegure-se de relaxar seu mecanismo Valsalva e de respirar pelo
abdômen.
Referência
HARRISON, John C., Conquer Your Fears of Speaking before People, National Stuttering
Association, 1989
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-136-
Exercício 26
Ouse!
Uma outra pessoa deblatera uma extraordinária série de disparates e você está lá
ouvindo passivelmente. Você não concorda com nada do que ela diz. Você gostaria
de dar sua opinião, mas prefere ficar em silêncio porque sabe que se abrir a boca
corre o risco de gaguejar. Você fica no seu canto e sente a pressão subir. Esta
situação é familiar? É provavelmente uma das piores frustrações que um gago possa
suportar.
Ouse e diga o que pensa!
Não há nenhuma razão para que seja assim: se você tiver algo a dizer, diga!
Não haverá nenhuma importância se você gaguejar! Diga!
As pessoas o ouvirão, mesmo se você gaguejar. Talvez se sentirão embaraçadas
por sua gagueira. E então? Elas provavelmente estavam ainda mais incomodadas
pelas afirmações absurdas deste tagarela.
Antes de dar sua opinião, interrompa esta pessoa utilizando uma técnica
semelhante àquela descrita no exercício precedente. Diga tranqüilamente, mas com
confiança algo do tipo: “Desculpe Júlio, eu entendo seu ponto de vista, mas eu não
concordo”. Utilize a linguagem corporal para mostrar que você não está de acordo e
que você faz valer seu direito à falar; olhe nos olhos. Certifique-se de captar a
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-137-
atenção dele e das outras pessoas do grupo, depois explique tranqüilamente e com
segurança seu ponto de vista.
Sinta como a pressão desaparece. Mesmo se você gaguejar, você se sente bem
porque tem o controle da conversa. Você tem algo a dizer e os outros o ouvem.
Não espere ter uma boa elocução
Você não deve esperar eliminar sua gagueira para começar a tomar a palavra e a
dizer o que tem a dizer. Os exercícios dados neste livro o ajudarão a obter uma boa
elocução somente se você se tornar uma pessoa dinâmica desde agora. Você deve
agarrar todas as ocasiões que se apresentarem sejam quais forem suas dificuldades
para falar atualmente. Você deve falar sempre que possível.
Sempre que você tiver algo a dizer ou uma pergunta a fazer, faça-o, mesmo se
você sentir que vai gaguejar.
Você não está realmente interessado em comprar um filtro, mas gostaria de
saber o preço? Pegue as páginas amarelas e telefone às empresas que comercializam
esse produto.
Você não pensa em abrir seu próprio negócio, mas gostaria de conhecer o
procedimento? Telefone para a câmara de comércio e pergunte.
Você participa a uma reunião e tem uma excelente idéia que permitiria à
companhia de ter lucros? Diga! Não há importância se você gaguejar: seu patrão
estará tão interessado à idéia de ter lucros que o ouvirá com grande interesse.
Tenha uma vida social mais ativa, convide amigos para jantar ou para um
piquenique. Que você gagueje ou não, você deve se tornar audacioso e se envolver
no máximo de atividades possíveis.
Você não precisa falar perfeitamente para ser um bom orador.
Uma pessoa dotada de uma boa elocução, mas triste e enfadonho, fará todo
mundo fugir. Ao contrário, um gago pode ser um orador muito vivo que saberá
cativar sua platéia. Um gago pode muito bem se tornar a pessoa mais popular de sua
universidade ou de seu local de trabalho.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-138-
Não espere obter uma boa elocução, para ousar. Faça agora! Saia de sua concha
e fale!
Referência
FRASER Malcom, Self-therapy for the stutterer, Stuttering Foundation, 2002
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-139-
Exercício 27
Seja um líder
Exprima suas opiniões
É meio-dia. Você está indo almoçar com alguns colegas. Eles estão discutindo sobre
em que restaurante ir e você está lá ouvindo passivamente esta conversa.
Aparentemente a maioria das pessoas quer ir a um fast-food. Você prefere comer
uma pizza, mas não diz nada porque sabe que provavelmente vai tropeçar na palavra
pizza. Você deseja secretamente que eles mudem de idéia e decidam finalmente ir a
um restaurante italiano. Claro que isto provavelmente não acontecerá e que você
terá mais uma vez que comer um desses horríveis hambúrgueres.
Você já passou por isso? Provavelmente, sim. Mas não é uma fatalidade. Você
sempre deve dar sua opinião, mesmo se gaguejar. Seus colegas querem ir a um fastfood?
Diga a eles que as pizzas são melhores e mais dietéticas. Seja convincente.
Utilize todo seu poder de persuasão para fazer com que eles mudem de idéia.
Quando você estiver sentado neste restaurante italiano, veja como você se sente
bem. Você conseguiu levar meia dúzia de amigos a este restaurante. Se você não
tivesse exprimido sua opinião, agora estaria comendo hambúrgueres e batatas fritas
em um fast-food a 500 metros de onde você está agora. Eles estão aqui porque você
decidiu. Talvez você tenha gaguejado muito, mas seus colegas foram inteligentes
bastante para entender que p-p-p-p-p-p-pizza, quer dizer pizza e você foi tão
convincente que eles aceitaram sua sugestão. Você não é mais um colega de
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-140-
trabalho apagado, esperando que os outros tomem as decisões, agora você tem
carisma e é popular. Você lidera quando precisa tomar uma decisão.
Que você acha de uma xícara de café?
Nos próximos dias tente ser um líder. Você pode levar as pessoas a fazerem coisas
muito simples. Por exemplo, se você precisar trabalhar com um colega, você pode
sugerir pegar uma xícara de café antes de começar o trabalho. Enquanto você olha
seu colega introduzir uma moeda no distribuidor de café, diga a você mesmo que
seu colega está lá porque você decidiu. Desta maneira você se dará conta que tem o
poder de dirigir e interagir com outras pessoas.
Sua vida não deve mais ser um face-a-face com a gagueira. Sua vida é feita de
interação com outras pessoas. Não se concentre mais sobre a gagueira, mas na
relação que você tem com os outros. Você deve exprimir sua opinião cada vez que
uma decisão deve ser tomada.
Desta maneira, você aumentará sua estima pessoal e se sentirá mais à vontade
com as pessoas mais próximas.
Referências
HARRISON, John C., Conquer Your Fears of Speaking before People, National Stuttering
Association, 1989
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-141-
Exercício 28
Desvende suas intenções
Você provavelmente já percebeu que, às vezes, é útil fazer de conta que é surdo. Se
alguém o pede para fazer alguma coisa que você não queira fazer, você
simplesmente faz de conta que não ouviu. Pessoalmente eu utilizo freqüentemente
esta técnica quando minha mulher me pede para fazer algo que não estou com
vontade de fazer e, em geral, funciona. (Pedi a minha mulher que lesse este livro e
fizesse uma correção, suponho que ela vai me matar ao ler isto!!!)
Da mesma maneira, um gago pode em algumas circunstâncias fazer de conta,
inconscientemente, que ele não consegue falar. É muito útil quando alguém nos faz
uma pergunta embaraçosa. Essa pessoa provavelmente abandonará a idéia depois de
você ter gaguejado fortemente 5 ou 6 vezes seguidas. A gagueira se torna um tipo de
carapaça que você utiliza para se proteger.
Não é algo que você reconhecerá facilmente porque isso acontece a nível
inconsciente. Você não decide conscientemente de gaguejar para evitar a pergunta.
Seu subconsciente acha que é o melhor a fazer para se proteger.
O maior inconveniente é o que leva seu subconsciente a considerar a gagueira
como um aliado. Se você tenta conscientemente destruir a gagueira, seu
inconsciente sabotará o trabalho sem que você se dê conta. Por esta razão é muito
importante que você veja como utiliza a gagueira quando convém. Ano após ano, a
gagueira se tornou uma maneira de viver. Você se acostumou a se esconder e se
proteger com uma elocução ruim. Você aprendeu a viver confortavelmente
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-142-
escondido atrás de sua gagueira e você pode esperar que seu inconsciente sabote os
esforços feitos para controlá-la.
É verdade que conscientemente você quer se livrar da gagueira. Mas, ao mesmo
tempo, inconscientemente se inquieta com a idéia de chegar à falar perfeitamente.
Quando você obtiver uma boa elocução, você responderá a todas as perguntas feitas,
mesmo as mais embaraçosas. Você terá que mudar a maneira de viver e se tornar
mais audacioso e sociável. Você terá que participar ativamente de conversas. Nos
jantares em família ou entre amigos, nós esperamos que você fale.
Tente se lembrar de circunstâncias nas quais você gaguejou deliberadamente.
Isso provavelmente será difícil porque se você fez não foi conscientemente e você
não se sente orgulhoso por isso.
O exercício se tornará provavelmente mais fácil, se você tentar se lembrar de
circunstância nas quais o fato de ter gaguejado fortemente pode ter sido considerado
como uma vantagem. Em tais circunstâncias, seu inconsciente provavelmente fez
tudo o que pôde para impedir uma boa elocução. Pense e constate o quanto essa
atitude era infantil, irresponsável e destruidora.
Você deve prometer a você mesmo que evitará este tipo de comportamento no
futuro. Agora, você é uma pessoa responsável e ousada e você não tem direito de se
rebaixar utilizando técnicas tão estúpidas. Você guarda o controle sobre suas
capacidades de fala seja quais forem as circunstâncias. Você não deve deixar
intenções ocultas impedi-lo de falar.
Referências
HARRISON, John C., Conquer Your Fears of Speaking before People, National Stuttering
Association, 1989
The Stuttering Foundation, Stuttering therapy: transfer and maintenance, 2002
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-143-
Exercício 29
Evite evitar
Técnicas de contorno
Quando um gago sente que vai tropeçar em uma palavra, ele geralmente utiliza
vários tipos de técnicas de contorno:
1- Ele pode evitar a palavra temida substituindo por uma palavra de sentido
análogo. Esta palavra é, muitas vezes, menos apropriada mas o gago sente que
é mais fácil a dizer.
2- Ele pode dizer algo completamente diferente, não tendo nenhuma relação
com o que gostaria de dizer a princípio. Ele pode até afirmar coisas que não
estão de acordo com suas opiniões políticas se sente que a palavra “direita” é
mais fácil dizer que “esquerda” (ou vice-versa)
3- Os gagos freqüentemente utilizam palavras introdutórias ou tapa-buraco,
como: “bom”, “sabe”, “vejamos”, “digamos” etc... Os gagos têm a impressão
de que todas essas palavras sem interesse servirão de trampolim para passar
pelas palavras nas quais eles têm medo de tropeçar.
Estas técnicas de contorno podem ocasionalmente impedir a gagueira. Mas na
maior parte dos casos, essas técnicas são ineficazes e inúteis. Elas não o impedirão
de gaguejar. Elas apresentam um grande inconveniente: a utilização excessiva
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-144-
dessas palavras parasitas e tapa-buracos podem se tornar incômodas para seu
auditor, provavelmente mais incômoda que a gagueira. Ou ainda, você acaba
dizendo algo diferente do que queria no princípio.
Evite as técnicas de contorno
Nos próximos dias, você prestará atenção à maneira como utiliza as técnicas de
contorno quando fala. E tentará sempre que possível evitar estas técnicas. Talvez
você ache que deixando de usá-la vai aumentar o número de vezes onde gaguejará.
Talvez seja verdade a curto prazo.
Mas a longo prazo, evitar este recurso melhorará sua elocução. A utilização
destas técnicas de contorno implica no fato de que você esteja sempre esperando as
palavras difíceis. Cada vez que detectar uma palavra difícil, você deve pensar em
uma maneira de evitá-la. Isso é extenuante e provoca um terrível estresse. Esse
estresse adicional aumenta a probabilidade de gaguejar.
A utilização das técnicas de contorno tende a aumentar seu medo de gaguejar. E
quanto mais você temer, mais difícil será falar com uma boa elocução.
Cada vez que tiver algo a dizer, diga-o diretamente sem procurar subterfúgios.
Tente utilizar as palavras mais apropriadas mesmo se sentir que vai tropeçar em
uma delas. Lembre-se que é preferível gaguejar na palavra correta que pronunciar
corretamente um sinônimo menos apropriado.
Não traia suas idéias e opiniões por uma melhor elocução a qualquer preço. Diga
o que você pensa mesmo que tenha que gaguejar em cada palavra.
Faça uma lista de suas técnicas de contorno
As substituições de palavras e as palavras tapa-buraco não são as únicas técnicas de
contorno utilizadas por um gago para evitar a gagueira. Freqüentemente os gagos
evitam as situações onde têm que falar quando eles estimam difíceis ou deixam para
mais tarde uma chamada telefônica na esperança que sua elocução melhore. Cada
gago é único e você provavelmente sabe melhor que ninguém o que faz para evitar
as palavras difíceis ou as situações temidas. Nos próximos dias, faça uma lista das
técnicas de contorno que você utiliza e tente eliminar uma a uma.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-145-
Vá progressivamente
Alguns gagos são tão dependentes das técnicas de contorno que para eles é quase
impossível de renunciar imediatamente. Se esse é o seu caso, você deve eliminá-los
progressivamente. Continue a utilizá-los em circunstâncias pelas quais você estima
que não poderia se permitir de gaguejar ou você não poderia ficar sem. Comece a
evitar a utilização destas técnicas de contorno em circunstâncias em que você se
sente mais à vontade. Uma vez adquirida a garantia de que as técnicas de contorno
não são mais necessárias em situações fáceis, tente eliminá-las em situações mais
difíceis.
Referências
FRASER Malcom, Self-therapy for the stutterer, Stuttering Foundation, 1978
MURRAY, Frederick P., A stutterer’s story, Stuttering Foundation of America, 2001
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-146-
Exercício 30
Adote uma atitude positiva
Sorria!
Você já percebeu que pessoas seguras têm um sorriso que reflete a confiança delas?
Se isso funciona para elas, deveria ser o caso para você também.
Sorrir necessita menos tensão muscular que manter uma expressão séria. Sorrir
relaxa o corpo e o espírito, dá confiança e torna a comunicação mais fácil. Todos
esses efeitos positivos melhoram sua elocução.
Tente sorrir sempre que possível. Sorria para os outros e para você mesmo
quando estiver só. Sorrir mudará positivamente suas percepções. Se você estiver
sorrindo enquanto dirige e seu pneu fura, eu não digo que você vai pular de alegria,
mas provavelmente você terá uma reação menos negativa desta experiência
desagradável.
Da mesma maneira, sorrir o ajudará a mudar sua percepção da gagueira. Se você
se acostumar a sorrir quando estiver com outras pessoas, você provavelmente estará
menos perturbado se acontecer de começar a gaguejar. Pode até acontecer de morrer
de rir espontaneamente com seu interlocutor a respeito deste bloqueio.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-147-
Adote uma postura decidida
Tente manter uma postura correta e os ombros para trás. Isso aumentará sua
confiança e mudará positivamente a maneira como os outros o vêm assim como a
sua autoimagem. Tendo uma postura correta, será mais fácil respirar eficazmente e
isso terá um efeito positivo sobre sua elocução.
Você também deve tentar andar e mover seu corpo mais rapidamente. Movendose
rapidamente, você terá ar mais decidido e você terá menos tempo para se
inquietar em relação à gagueira e às situações onde a conversa é difícil.
Mude seu modo de vida
Você provavelmente já percebeu que a gagueira flutua de um dia para outro. Você
gagueja muito um dia e consegue falar com desenvoltura no dia seguinte. As
flutuações de elocução parecem ser totalmente imprevisíveis e difíceis a explicar,
mas há provavelmente uma relação com seu estado de saúde. Você gaguejará
provavelmente muito mais se estiver doente, se não estiver em forma ou se não tiver
dormido bem. Desta maneira você deve adotar um modo de vida saudável:
1. Assegure-se de dormir suficientemente e em horas regulares.
2. Assegure-se de ter uma dieta sã e equilibrada. Evite beliscar entre as refeições.
Tente comer em horas regulares.
3. Beba bastante água. O cérebro não funciona corretamente quando você está
desidratado e isso pode aumentar a gagueira.
4. Pratique exercício físicos; isso o ajudará a ser mais calmo, mais ousado e à
vontade.
Não deixe nada para amanhã
Evite deixar para amanhã o que pode ser feito hoje! Isso o dará a impressão de
controlar sua vida. Se você tiver a sensação de que sua vida está sob controle, será
mais fácil controlar sua elocução.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-148-
Se você tiver que fazer uma chamada telefônica e estiver tendo um dia difícil,
talvez você se sinta tentado a deixar esta ligação para um outro dia esperando que
sua elocução será melhor. Não é uma boa estratégia. Quanto mais você esperar,
mais você pensará a respeito e se estressará, e isso só aumentará o risco de gaguejar.
No lugar de deixar para mais tarde, você deve pegar o telefone imediatamente e
compor o número.
Referências
FRASER Malcom, Self-therapy for the stutterer, Stuttering Foundation, 1978
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002
MURRAY, Frederick P., A stutterer’s story, Stuttering Foundation of America, 1980
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-149-
Conclusão
Parabéns! Você superou os 30 exercícios deste livro e provavelmente obteve uma
melhora significativa em sua elocução. Se este é o caso, mas você ainda gagueja não
se inquiete porque é perfeitamente normal. Continue fazendo os exercícios
cotidianos de manhã e à noite. A melhora que você obteve mostra que você está no
caminho certo. Eu sugiro que você faça todos os exercícios uma vez mais afim de
assimilar totalmente as técnicas.
Se sua gagueira está completamente controlada, fantástico! Como já foi
explicado na página 37, o objetivo desta terapia é de esquecer que você é gago. Isso
poderá se realizar quando você terá substituído cada um dos elementos do iceberg
da gagueira por seu equivalente do iceberg da boa elocução. Se você está seguro de
que a gagueira está sob controle e seus comportamentos, percepções e sentimentos
associados à gagueira foram modificados, então eu o recomendo esquecer que você
é gago para ver o que acontece. Se isso o levar a uma recaída, você poderá sempre
voltar aos exercícios.
Se você acha que não melhorou nem um pouco, não desista. Algumas pessoas
precisam de mais tempo para dominar novas técnicas. Faça os exercícios cotidianos
por alguns meses. Dê tempo ao tempo. Assegure-se de que você domina todas as
técnicas descritas neste livro. No caso, pouco provável, de um revés, então, talvez
seja melhor tentar uma outra terapia. Peça a opinião a seu ortofonista e/ou procure
informações complementares na Internet.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-150-
Mantenha-me informado
Não hesite a me contatar na página: http://www.gagueira.ch. Diga-me o que
você acha deste tratamento e como ele o ajudou a controlar a gagueira. Seus
comentários serão muito apreciados e levados em conta quando este livro for reeditado.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-151-
Terceira parte
Terapia destinada às crianças
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-152-
Capítulo 1
Seu filho gagueja
Às vezes, seu filho repete palavras ou sílabas e você teme que ele se torne um gago.
Não se preocupe: cerca de 20% das pequenas crianças gaguejam a um certo
momento e a maior parte delas eliminam espontaneamente a gagueira. Por esta
razão, é bem provável que seu filho esteja simplesmente atravessando um período
normal de distúrbios da elocução. Há fortes chances de que ele reencontre uma
elocução normal em seguida.
No entanto, uma criança sobre vinte não se livrará espontaneamente da gagueira
e precisará da ajuda de seus pais, e, em alguns casos, da ajuda suplementar de um
ortofonista para ter uma elocução normal.
Que devo fazer?
Antes de tudo, você deve evitar de agir de maneira excessiva. Como eu acabei de
explicar, a maior parte das crianças se livrarão deste distúrbio da fala e é
estatisticamente provável que o seu fará o mesmo. Você deve evitar que seu filho
perceba que seu distúrbio da elocução o preocupa. Se você mostrar sua
preocupação, seu filho se conscientizará da gagueira dele e se esforçará a não
gaguejar mais. Fazendo estes esforços, ele terá tendência a contrair o mecanismo de
Valsalva (veja no capítulo 2: Contração de músculos errados) e isto aumentará sua
gagueira.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-153-
Se a gagueira de seu filho é leve, não é necessário procurar imediatamente o
diagnóstico de um ortofonista. Você talvez poderia melhorar a elocução de seu filho
com uma terapia indireta: as crianças tendem a imitar os pais e você pode
influenciar a maneira de falar dele mudando seu comportamento e a maneira de
falar com ele. Por exemplo, você pode fazê-lo falar mais lentamente falando você
mesmo mais lentamente. O próximo capítulo (Terapia indireta) expõe em detalhes
como fazê-lo.
Se você não perceber nenhuma melhora em um mês, ou se a gagueira de seu
filho é realmente forte você deve consultar um ortofonista. Não espere porque
quanto mais você esperar, mais difícil será para eliminar a gagueira.
Ortofonista
É muito importante de não reforçar a conscientização da criança a respeito das
dificuldades de elocução que ela tem. Por isso, você deve encontrar o ortofonista
sem a presença da criança. Na primeira visita, certifique-se de que o ortofonista
está acostumado a trabalhar com crianças de maneira descontraída e de que ele será
capaz de ajudar seu filho sem agravar a conscientização da criança em relação às
dificuldades que tem. Se você não tiver certeza da escolha é melhor consultar um
outro.
Na próxima visita, você levará seu filho, e o especialista fará uma avaliação do
distúrbio. Se ele tem experiência, deveria ser capaz de fazer isso sem que a criança
se dê conta.
Seja qual for o tratamento recomendado pelo ortofonista, não esqueça de que é
você quem tem o papel mais importante nesta terapia. A criança passa várias horas
todos os dias com você, e você exerce uma grande influencia sobre ela. Então você
deve seguir ao pé da letra as recomendações do próximo capítulo.
Devo falar com meu filho a respeito da gagueira dele?
Enquanto seu filho não perceber que ele gagueja você deve evitar falar sobre isso.
Se seu filho mostra claramente que é consciente da gagueira dele ou se ele faz
perguntas do tipo: “Por que eu não consigo falar?” ou “O que eu tenho?”, então
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-154-
você deve falar francamente a este sujeito. Coloque progressivamente em prática
uma abordagem direta. (veja os detalhes no capítulo 3 Terapia direta.)
A culpa é minha se meu filho gagueja?
Não, a culpa não é sua. Ninguém sabe exatamente o que provoca a gagueira, mas
estudos indicam que a gagueira não é causada pela maneira como uma criança é
educada pelos pais.
Isso, evidentemente, não quer dizer que você não pode fazer nada para ajudar
seu filho. Como explicado precedentemente, você pode influenciar positivamente
seu filho e desta maneira ajudá-lo a adquirir uma boa elocução.
Referências
CHELMA, Kristin A., REARDON, Nina, The School-Age Child Who Stutters: Working
effectively with Attitudes and Emotions, Stuttering Foundation of America, 2001
DELL, Carl W., Treating the school-age child who stutters: a guide for clinicians,
Stuttering Foundation, 2000
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002
MURRAY, Frederick P., A stutterer’s story, Stuttering Foundation of America, 2001
Stuttering Foundation, If your child stutters, a guide for parents, 2002
Stuttering Foundation, Stuttering and your child, questions and answers, 2002
Stuttering Foundation, The child who stutters: to the pediatrician, 1991
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-155-
Capítulo 2
Terapia indireta
Falar lentamente
As crianças que gaguejam, costumam falar mais rápido que as outras, e, talvez você
pense que é por isso que elas gaguejam. Na realidade, pode ser o contrário: é muito
provável que os gagos tentem falar mais rápido para evitar que a gagueira o alcance
antes de terminar a frase. Fazendo isso, ele se estressa e torna a gagueira inevitável.
“Falar rápido” provavelmente não é a causa principal que provoca a gagueira, mas
seguramente a gagueira e a rapidez de elocução trabalham juntas para se reforçarem
mutuamente.
Você deve encontrar um meio de a elocução de seu filho seja mais lenta. A
primeira idéia é de pedir à criança de falar mais lentamente, mas isso deve ser
evitado, porque:
1. É quase impossível para uma criança falar mais lentamente voluntária e
conscientemente.
2. Pedindo a ela de falar mais lentamente, você a deixa ainda mais consciente
do distúrbio e isso risca de agravar a gagueira dela.
Você deve mostrar o exemplo e falar com ela lentamente: as crianças costumam
naturalmente a imitar os pais e, desta maneira, provavelmente seu filho falará mais
lentamente.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-156-
Pausas
Quando seu filho fizer uma pergunta, acostume-se a parar um segundo antes de
responder. Faça uma curta pausa antes de cada frase.
Mais uma vez seu filho o imitará e isso o levará a falar mais lentamente e a fazer
pausas quando estiver falando.
Dias bons e ruins
Você provavelmente já percebeu que a gagueira vai e vem: um dia seu filho tem
uma elocução perfeita ou quase e no dia seguinte, ele vai gaguejar fortemente. Não
se preocupe com estas flutuações: elas são perfeitamente normais. O aspecto
intermitente da gagueira é misterioso, e ninguém sabe exatamente porque ela flutua
de um dia para o outro.
Você deve prestar atenção a estas flutuações e desta maneira organizar suas
atividades cotidianas. Se seu filho estiver num bom dia (a elocução dele será
perfeita ou quase), deixe-o falar o quanto quiser para que tenha o prazer de uma boa
elocução. A boa elocução reforça a boa elocução, e esta experiência agradável terá
efeito a longo termo.
Por outro lado, se você perceber que seu filho está num dia ruim, tente organizar
atividades pouco exigentes do ponto de vista verbal, como um passeio de bicicleta
ou a natação.
Não faça muitas perguntas a seu filho
A maior parte das crianças não gostam de ser bombardeadas de perguntas; e aquelas
que gaguejam não são diferentes. Se seu filho gagueja, e você o encher de
perguntas, ele não se sentirá à vontade e isso poderá reforçar a gagueira dele.
O melhor é não forçar seu filho a falar. Você deve deixá-lo falar quando tiver
vontade e sobre o que quiser. Se você quiser fazer uma pergunta, dê a ele tempo
para responder.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-157-
Deixe seu filho falar tão alto quanto quiser
Se você é como eu, e você não gosta de ter crianças gritando dentro de casa, você
considerara este conselho difícil a seguir. Eu me surpreendo de como uma
criancinha possa fazer mais barulho que meia dúzia de adultos reunidos. As crianças
falam numa tonalidade muito mais elevada que os adultos. Apos um longo dia de
trabalho, você tem sem duvida vontade de pedir a seu filho de falar mais baixo.
Portanto é essencial de deixar seu filho falar tão alto quanto quiser. Como foi
explicado na segunda parte (exercício 22 – Fale alto!) falar alto tem dois efeitos
positivos: reforça a confiança e relaxa as cordas vocais. E mais fácil falar
corretamente quando se fala mais alto. Conseqüentemente, resista a pedir a seu filho
de falar mais baixo.
Na realidade, você deveria encorajá-lo a falar mais alto. O meio mais simples
de incitá-lo a falar mais alto é fazer de conta que é surdo. Se seu filho diz qualquer
coisa, leve a mão à orelha, e peça-o de repetir falando mais alto.
Fazendo isso, preste a atenção de não aumentar a preocupação de seu filho em
relação à gagueira.O melhor é começar a brincar “de surdo”, quando seu filho fala
sem gaguejar, senão ele pensara que você não compreendeu por causa da gagueira.
Você também pode dizer a ele que com a idade você esta ficando surdo.
Freqüentemente as crianças riem de nossas fraquezas e sem duvida ele vai gostar
desta explicação.
Você também deve prestar atenção a não fazer demais. Brincar “de surdo” deve
ser divertido, senão seu filho risca de se cansar de seus pedidos repetitivos de “falar
mais alto”. Se você perceber que ele está cansado do jogo, deixe o exercício para
outro dia.
Você também pode fazer um jogo onde ele tenha que falar cada vez mais alto.
As crianças gostam de gritar e certamente ele gostara desta brincadeira. Se você não
gostar tanto quanto ele, é melhor procurar protetores para os ouvidos...
Encoraje seu filho a cantar
Geralmente os gagos não gaguejam quando cantam. Você ajudara seu filho a
melhorar a dicção encorajando-o a cantar. Isto aumentara a confiança dele para falar
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-158-
com desenvoltura. A boa dicção que ele tem quando canta seguramente terá efeito
positivo sobre ele quando falara.
Evidentemente, você pode encorajá-lo a cantar mais alto. Desta maneira você
matará dois coelhos com uma cajadada só.
Manter o contato visual
Tente manter um contato visual natural com seu filho no momento em que estiver
falando com ele. Desta maneira, você mostrará que o está ouvindo e o ajudará a
desenvolver as técnicas de comunicação sem utilização da fala. Não evite o olhar
dele quando bloquear em uma palavra.
Evite dar conselhos a seu filho
Não diga a seu filho “fale lentamente”, “respire profundamente e recomece”. Estes
conselhos são simplesmente inúteis e reforçam a consciência das dificuldades que
ele tem.
De maneira geral, você deve deixá-lo falar sem interrompê-lo. Não peça a ele de
repetir corretamente uma frase na qual tropeçou. Ele já teve problemas para dizê-la
uma vez e ele será incomodado se você fizer este pedido.
Não interrompa seu filho
Não interrompa seu filho enquanto estiver falando, ouça e deixe-o terminar o que
tem a dizer antes de começar a falar. Assim, ele compreendera que tem todo seu
tempo e que não precisa se apressar.
Você também deve educar seus outros filhos a falar cada um de uma vez e a
ouvir quando outra pessoa estiver falando. Todos na família devem falar sem serem
interrompidos. Desta maneira, o ritmo da conversa será descontraído. E a criança
que tem problema de dicção se sentira mais à vontade e falara mais facilmente.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-159-
Atenção ao fato de que a criança que gagueja não tenha um tratamento diferenciado.
A gagueira não é uma desculpa para monopolizar a conversa, e seu filho gago ou
não deve esperar a vez de falar.
Ensine seus filhos a ouvir
Você deve ensinar a seus filhos (a todos) a ouvir quando alguém estiver falando.
Assim seu filho que gagueja se sentira mais descontraído porque sabe que será
ouvido pelos outros membros da família. Ele também aprendera que falar não é
simplesmente exteriorizar palavras, mas uma interação.
Não preencha os espaços
Se seu filho bloqueia em uma palavra, espere pacientemente que ele termine a
palavra. Não diga a palavra no lugar dele. A maior parte dos gagos detestam que os
outros terminem as frases por eles.
Se você se acostumar a preencher os espaços, ele tentara falar mais rápido para
conseguir terminar a frase antes que você interrompa. Ele se sentira estressado e isso
provavelmente provocara uma manobra Valsalva agravando a gagueira.
Não diga a seu filho de pensar ao que tem a dizer antes de falar
Os não-gagos freqüentemente pensam que os gagos não têm uma idéia clara do que
têm a dizer e que pensam mais rápido do que falam. Os não-gagos supõem que os
gagos não gaguejariam se simplesmente tivessem tempo de selecionar as idéias e
pensar à maneira de exprimi-las antes de falar.
Estas suposições são falsas. Os gagos sabem, em geral, perfeitamente o que
querem dizer e que palavras utilizar para exprimir essas idéias. A gagueira pode
provocar uma certa confusão, mas não é essa a causa da gagueira.
Por esta razão é inútil pedir a seu filho de pensar antes de começar a falar. E
mais, se você fizer isso ele se conscientizara de seu problema e isto risca piorá-lo.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-160-
Desligue o radio e a televisão durante as refeições
Uma criança que gagueja terá muito mais dificuldades a falar se teme que os outros
sejam distraídos pelo radio ou a televisão. As refeições são provavelmente um dos
melhores momentos para as conversas em família, você deve prestar atenção a estar
concentrado no que diz seu filho.
Estilo de vida
Como já expliquei os gagos têm dias “bons” e “ruins”. Mesmo se ninguém sabe
exatamente porque alguns dias são melhores que outros, parece que é mais difícil ter
uma boa elocução quando estamos cansados doentes, cansados e/ou sob pressão. Os
gagos provavelmente gaguejarão menos se dormiram bastante, se estiverem em boa
forma física e relaxados. Então, você pode ajudar seu filho a ter “bons dias”
mudando o estilo de vida da família.
1. Um estilo de vida super ativa pode perturbar a elocução de seu filho e você
talvez possa mudar o ritmo de vida da família. Isso ajudara seu filho a relaxar
o mecanismo Valsalva e se dar o tempo de falar.
2. Assegure-se de que seu filho não tenha atividades demais. Senão ele risca
de não ter tempo de descansar e relaxar.
3. Verifique que seu filho dorme suficientemente e se deita mais ou menos à
mesma hora. Os gagos têm mais dificuldades para falar se cansados. De fato,
mesmo os não-gagos, às vezes, têm dificuldades de elocução quando estão
exaustos. Você tem certeza de poder dar um endereço de maneira
compreensível ao motorista do táxi depois de ter viajado de avião 20.000 km?
4. Um regime equilibrado também pode ajudar seu filho a melhorar a dicção.
Organise-se para que ele coma sempre nos mesmos horários e que não coma
entre as refeições.
5. Atividades físicas, ao ar livre, tais como, jogar bola, natação, andar de
bicicleta etc... também são importantes. E ajudarão seu filho a se sentir mais
relaxado e a melhorar a elocução.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-161-
6. Certifique-se de que ele bebe bastante liquido. O cérebro humano não
trabalha a 100% estando desidratado.
Felicite seu filho
Felicite seu filho a cada vez que fizer algo corretamente, isso aumentara a confiança
dele, assim ele falara melhor.
Preste atenção a não felicitar seu filho quando ele falar corretamente, porque ele
deduzira que a gagueira é ruim. E tentara evitar a gagueira a qualquer preço para
agradar a você e isso pode provocar uma manobra Valsalva.
Risos
Se seu filho gagueja, provavelmente rirão dele por causa da maneira estranha de
falar. Não se preocupe, porque todas as crianças estão sujeitas aos risos por uma ou
outra. Sofrer com as brincadeiras faz parte da aprendizagem da vida em sociedade.
Provavelmente também riram de você quando era criança, e eu não acho que você
esteja traumatizado por esta experiência desagradável.
Quer dizer, se seu filho gago ouve muitas piadinhas dos irmãos, fale com eles e
explique que não devem rir e à respeito da maneira de falar. Explique que talvez ele
seja mais lento a aprender a falar como outras crianças podem ser lentas a aprender
a segurar uma colher. Todos temos pontos fracos, por acaso eles gostam que riam
deles por que levam mais tempo para aprender a nadar, por exemplo?
Se seu filho disser que riram dele na escola por causa da gagueira, fale com ele.
Diga que são só brincadeiras e que acontecerão de qualquer maneira. As crianças
que não gaguejam são motivo de risos por outras razões, porque são gordos, ou
muito magros, muito pequenos, ou grandes, porque são desajeitados ou por causa do
sobrenome etc...
Consagre um momento a seu filho pelo menos uma vez por dia
Tente achar tempo de falar com seu filho pelo menos uma vez por dia. Encontre um
lugar onde vocês não sejam incomodados; desligue a televisão e o rádio.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-162-
Olhe-o nos olhos enquanto estiver falando com ele. Deixe seu filho dirigir a
conversa e certifique-se de que a conversa se passe sem estresse. Concentre-se sobre
o que ele diz e não como ele diz, e faça-o compreender que você entendeu seja
comentando o que foi dito ou através de expressões do rosto (sorriso, surpresa,
medo etc...).
Mostre a seu filho que você o ama como ele é.
Não mostre seu constrangimento
Não mostre seu constrangimento quando seu filho bloquear em uma palavra.
Continue olhando-o nos olhos e tente ficar relaxado. Concentre no que diz e não
como diz.
Talvez você considere a gagueira de seu filho muito constrangedora, e você não
consegue sua preocupação ou incômodo? Se for o caso, primeiramente, você deve
tentar mudar a sua maneira de ver a gagueira de seu filho.
Ouça outras crianças e você perceberá que praticamente nenhuma delas fala
perfeitamente. Aprender a falar nunca é fácil e a maior parte das crianças têm
dificuldades de elocução. De fato, a maior parte dos adultos também têm
dificuldades de elocução de vez em quando. Como já explicamos no exercício 12
“Ouça os outros”, ninguém sobre a face da terra não fala perfeitamente o tempo
todo. Quando você compreender isso, a sua maneira de ver as dificuldades de seu
filho mudará e será mais fácil manter a calma quando ele começar a gaguejar.
Referências
CHELMA, Kristin A., REARDON, Nina, The School-Age Child Who Stutters: Working
effectively with Attitudes and Emotions, Stuttering Foundation, 2001
DELL, Carl W., Treating the school-age child who stutters: a guide for clinicians,
Stuttering Foundation, 2000
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002
MURRAY, Frederick P., A stutterer’s story, Stuttering Foundation of America, 2001
Stuttering Foundation, If your child stutters, a guide for parents, 2002
Stuttering Foundation, Stuttering and your child, questions and answers, 2002
Stuttering Foundation: Counseling those who stutter, 2000
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-163-
Capítulo 3
Terapia direta
Se seu filho não se dá conta da gagueira dele, então é melhor não mencionar porque
isso poderia conscientizá-lo do problema que tem. Você deve tentar mudar
indiretamente sua maneira de falar seguindo os conselhos dados no capítulo
precedente (Terapia indireta) e procurar a opinião de um ortofonista se você não
perceber nenhuma melhora em algumas semanas.
Por outro lado, se seu filho estiver consciente e inquieto de suas dificuldades,
então é melhor encontrar uma maneira de falar francamente sobre a gagueira. Da
mesma maneira, é muito importante falar abertamente com seu filho se ele ouviu
por acidente uma conversa à respeito das dificuldades dele.
Em muitas famílias, a gagueira é um tipo de tabu que ninguém menciona. Os
pais são freqüentemente apavorados à idéia de falar da gagueira com seus filhos por
medo de agravar suas dificuldades.
Certamente, não é fácil falar sobre a gagueira com um filho que gagueja. Mas é
importante que você encontre uma maneira de fazê-lo, senão seu filho terá a
impressão de ser abandonado na luta desesperada que trava contra a gagueira. Este
capítulo dá alguns conselhos que o ajudarão a abordar o assunto.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-164-
A gagueira: é como cometer erros
Explique a seu filho que é normal cometer erros quando aprendemos algo novo
como: aprender a falar, segurar uma colher ou andar de bicicleta. A fala é uma
técnica complicada que implica centenas de músculos de diferentes partes do corpo
e levará tempo até que aprenda a coordená-los.
Explique a seu filho que é normal que precise de mais tempo que outras crianças
para aprender a falar. Temos todos nossos pontos fracos. Você pode lembrá-lo que
foi mais rápido que outras crianças a aprender outras coisas como nadar, ler, contar,
etc...
Diga claramente a seu filho que é perfeitamente normal fazer erros quando
falamos. Isso o ajudará a se sentir muito mais à vontade em relação à sua gagueira, e
conseqüentemente o mecanismo Valsalva dele terá menos tendência a se contrair.
Seu filho não é o único
Se seu filho é consciente da gagueira dele, provavelmente pensa que é a única
criança do mundo a sofrer deste mal. Esta falsa impressão pode desesperá-lo,
portanto é importante explicá-lo que não é o único.
A estimação é de que 1% da população gagueja e cerca de uma criança sobre
vinte gagueja a um momento ou outro. Evidentemente, seu filho é jovem demais
para compreender as estatísticas e as porcentagens e você deve explicar com
palavras que ele compreenda. Isso pode ajudá-lo a mencionar outras crianças que
ele conheça que têm dificuldades mesmo se não podem ser chamadas de “gagueira”.
Evite as palavras que causam medo
Quando falar com seu filho, você deve evitar palavras como “gagueira” ou
“ortofonista”. Tente utilizar palavras mais infantis como “deslize” ou “patinar” e,
para falar do ortofonista utilize o nome deste.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-165-
Aceite a gagueira de seu filho
Se você fizer de conta que não percebe nada quando seu filho bloqueia longamente
em uma palavra, ele acabará tendo a impressão de que a gagueira é algo vergonhoso
para ser discutido.
De vez em quando você deve reconhecer as dificuldades dele dizendo algo do
tipo: “Nossa mas esta palavra é difícil de ser dita! Eu também tinha dificuldade de
dizer este tipo de palavra quando tinha sua idade”. Você pode fazer comentários
complementares explicando que estas palavras serão mais fáceis a pronunciar
quando ele for maior.
Você pode mostrar a ele que mesmo os adultos às vezes têm dificuldades de
pronunciar algumas palavras.
Brinque com a gagueira
Provavelmente seu filho vê a gagueira como algo assustador e vergonhoso. Por
causa destas impressões negativas, ele fica angustiado cada vez que abre a boca para
dizer algo. Ele costuma contrair seu mecanismo Valsalva e isto torna a gagueira
mais provável.
Você pode mudar esta impressão transformando a gagueira em jogo. Isto o
ajudara a não ter mais medo de gaguejar. Se ele não tiver mais medo de gaguejar,
ele terá o mecanismo Valsalva mais relaxado e, desta maneira será menos provável
que gagueje.
À primeira vista, transformar a gagueira em jogo pode parecer difícil.
Evidentemente, você deve fazer isto com cuidado e estar certo de que seu filho está
pronto a brincar com a gagueira. Se você perceber que ele hesita, dê tempo ao
tempo, faça este exercício mais tarde.
A primeira etapa é reconhecer que seu filho gagueja, como explicado na sessão
precedente.
Quando você perceber que seu filho esta mais seguro por sua maneira de aceitar
sua gagueira, espere que ele bloqueie em uma palavra e peça a ele de explicar como
gaguejar nesta palavra.
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-166-
Por exemplo, você pode dizer algo como:
“Eu gosto da maneira como você engasga nesta palavra! Eu vou tentar fazer
como você...”
Imitar a gagueira não é fácil e pode ser que seu filho ria porque você não
consegue bloquear tão bem quanto ele. De qualquer maneira, assegure-se de que ele
gosta deste jogo. O objetivo é transformar a gagueira em algo divertido.
Você também pode incitar seu filho a se divertir gaguejando voluntariamente ou
experimentar novas maneiras divertidas de gaguejar. Isso o ajudará a controlar a
linguagem.
O que esperar?
Praticando a terapia direta descrita neste capítulo seu filho se sentirá mais relaxado e
menos inquieto. A elocução dele deveria melhorar progressivamente. Se, entretanto,
você não perceber uma melhora substancial em algumas semanas, você deve
consultar imediatamente um especialista. Não espere; quanto mais você esperar será
mais difícil eliminar a gagueira.
Referências
CHELMA, Kristin A., REARDON, Nina, The School-Age Child Who Stutters: Working
effectively with Attitudes and Emotions, Stuttering Foundation, 2001
DELL, Carl W., Treating the school-age child who stutters: a guide for clinicians,
Stuttering Foundation, 2000
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002
Stuttering Foundation, If your child stutters, a guide for parents, 2002
Stuttering Foundation, Stuttering and your child, questions and answers, 2002
Stuttering Foundation, The child who stutters: to the pediatrician, 1991
Stuttering Foundation, The child who stutters: to the family physician, 1992
Terapia global da gagueira
___________________________________________________________________
-167-
Referências bibliográficas
British Stammering Association: http://www.stammering.org/
CHELMA, Kristin A., REARDON, Nina, The School-Age Child Who Stutters: Working
effectively with Attitudes and Emotions, Stuttering Foundation, 2001
DELL, Carl W., Treating the school-age child who stutters: a guide for clinicians,
Stuttering Foundation, 2000
FRASER Malcom, Self-therapy for the stutterer, Stuttering Foundation, 1978
HARRISON, John C., Conquer Your Fears of Speaking before People, National
Stuttering Association, 1989
HARKNESS, Richard, Neuropatterning For Stutterers: A Home Course In Programming
Your Brain For Fluent Speech, 1997
JOHNSON, Wendell, People in Quandaries, University of Minnesota Press, 1964
KEHOE, Thomas David, Overcoming Stuttering in 6 months, A multifactoral Guide To
Speech Therapy, Casa Futura Technologies, 2002
KEHOE, Thomas David, Speech Motor Repatterning for Stutterers, Casa Futura
Technologies
MURRAY, Frederick P., A stutterer’s story, Stuttering Foundation of America, 1980
PARRY, William D., Understanding & Controlling Stuttering, A Comprehensive New
Approach Based on the Valsalva Hypothesis, National Stuttering Association, 1992
RENTSCHLER, Gary J.,
http://www-home.cr.duq.edu/~rentschler/index.html, Duquesne University, 2002
SCHWARTZ, Dr Martin F., Stutter no more, www.stuttering.com, 1991
STRYDOM, Jan, Stuttering: Helping Your Youngster Overcome it,
http://www.audiblox2000.com/more06.htm
Stuttering Foundation, If your child stutters, a guide for parents, 2002
Stuttering Foundation, Stuttering and your child, questions and answers, 2002
Stuttering Foundation: Counseling those who stutter, 1981
Stuttering Foundation: Transfer and maintenance, 1982
Stuttering Foundation, The child who stutters: to the pediatrician, 1991
Stuttering Foundation, The child who stutters: to the family physician, 1992

0 Comments:

Post a Comment

<< Home